Acalanto

Eu sinto tanto
que eu me acabo em prantos
eu choro
o adeus do teu olhar
nada mais me serve de acalanto, nem os sons dos meus gemidos 
por meu corpo combalido
mas
o que mais dói em mim, no entanto
é ver
as ondas deste mar
sem tuas mãos para eu segurar.

Nada
mais importa então
nada
tem algum sentido,
nem o céu ao estrelar,
nem as ondas deste mar, porque o amor que foi vertido
nestas águas convertido...
nas lágrimas dos meus olhos, que não se cansam
de chorar.

SorrisodeRosas


Exibições: 26

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço