Acalanto

Chamo-me Acalanto, venho a este mundo ferrenho

a exemplo  de tão falado  engenho, maquinado sobre

o lenho pelo qual foi  lanhado O mais sagrado. Triturado

pelos dentes do maligno  engenhado, apesar de seu desígnio

ser de  suportar o  sistema de outrora. Venho  agora enxugar o seu

pranto. Ao  prantear ouça a  voz do meu suave canto, porém, vou além,

jamais o ouça errado, creia, estarei sempre ao seu lado, amém. Sou antigo,

sou  amado,  eterno, presente  etéreo,  futuro  carregado  de  mistério alado.

Ah… Sei que o seu caso é sério. Porém, minha veleidade por  ser eterna,

não tem idade. Desculpe-me ser tão sincero com redundante arrazoado,

a mim não me falta  capacidade. Quem me enviou é o dono da  verdade.

Venho  a mando do Criador, sinônimo de Amor. Entenda, modestamente

sou maior que a sua tenda, você, sua família, seu carro  raro, sua fazenda,

seu casebre, sua febre, sua desavença, sua doença, seu mundo, seu vizinho,

pois, jamais  estarão sozinhos. O dono da criação me faz morar no profundo do

seu coração.  Fui o primeiro que aprendeu a amá-lo antes  que eu. Atendo os de

boa vontade, sou onipresente, e por você ser devotado,  dou-lhe um  conselho:

Não ande com qualquer companheiro a peso de dinheiro,  não  ande  com 

derrotado,  pois, será  errante  bastante  o  tempo  inteiro.

Sou o velho verbo,  poetando  sua lida em sua

vida, arribando  acima de toda rima. Alegrando

no gerúndio no afiar da   própria língua. Deixe a

vingança, peça  ajuda à  minha  amiga  Esperança,

pois, ao fazer sincera aliança com a Fé, começará a

entender  quem  você  é; linda flor florescida no jardim

do  amor,  e  eu,  Acalanto, o  destruidor  da  sua  dor.  

Quando  veio  a  esta vida oriundo  de outra  vida,

foi grande competidor, quantos  semelhantes

correndo a corrida da vida venceu, já se

esqueceu? Agora no corredor desta

vida é sabedor do seu forte valor.

E agora José? Como diria Carlos,

já é sabedor de quem você é...

O Teu Pranto

Ao chorares o teu pranto

Sintas o sol  da alegria

Velando  o   teu   dia.

Eis   o   Acalanto.

Cantes  alegre

O  teu  canto,

Pois,   vida

É encanto,

É   poesia.

jbcampos

Exibições: 40

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Jbcampos em 4 junho 2018 às 12:49

Apenas o substantivo: MARGARIDA representa o maior adjetivo, querida. bjs.

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 4 junho 2018 às 12:27

Preciso aprender mais adjetivos.

Poema de alto preço, valioso, suntuoso, magnífico, precioso, maravilhoso, ...

Comentário de Jbcampos em 3 junho 2018 às 16:57
Comentário de Elías Antonio Almada em 3 junho 2018 às 15:39

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço