amantes do amor

sidarta, o iluminado gautama, deixando o seu principado de lado,

o poder, a glória simplória, sua luxuosa cama, alcova alada,

quiçá, a  luxúria ao longe da manchúria, povoado  aliado

de antes, porém, hoje muito valorizado e industrializado.

conquanto, fora, e  o é venerado da índia aos emirados.

confúcio, sábio chinês,  lá atrás iniciou a trazer sua paz

iluminado,  guiado, soube bem o que fez, sendo assaz

qual maomé em sua meca, após jesus tê-lo  influenciado.

nesses interregnos,  houve a paz; e houve  a espada atrás.

trocou-se o fêz pelo fez, outra vez, talvez sem saber o que fez.

há milênios criou-se a era axial, formação do eixo astral.

energias aos  humanos, chakras coronarianos. meridiano

frontal onde entra a sabedoria. amins andarilham há anos

pelas pontas dos pés.  iluminados astros extrassensoriais

e porque  não dizer: à francisco cândido xavier. à  mulher

pode-se  considerar a calcutá  na  realeza  de mãe tereza.

à  doce  dulce a confirmar a nossa amada pátria nacional

do carnaval, e da alegria normal, afora a dolorida tristeza.

dessa  desnatural  realeza a  governar  favela  e pobreza.

tristeza, beleza, safadeza, franqueza, apesar da alegria

no largo sorriso infantil do belo filho do político imbecil.

platão, livre e sem patrão; donde gerou toda a  tradição,

com sócrates, contundentes a questionarem a verdade.

jeová, god, javé,  brahman, shiva e infinitas deidades.

até pantocrator faz parte do trato

afinal quem dá as ordens de fato?

apenas ame o resto que resplandece, se me parece,

tertúlia  flácida para adormecer vacum. haja vista as

guerras infanticidas a manchar as nossas vidas idas.

neste caldeirão sobrou um caldo chamado: AMOR!

o CAPS LOCK ainda funciona,

apenas não o uso por abuso.

somos demasiadamente

humanos, “nietzsche”.


jbcampos

ame se for capaz!

Exibições: 34

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Jbcampos em 9 março 2018 às 20:06

Margarida Maria, parabéns pela frase: Detesto quem me rouba a solidão, pois, a solidão é mais pura companheira. Forte abraço do jb.

Comentário de Jbcampos em 9 março 2018 às 20:04

Elias Antonio, fico muito grato pela sua generosa observação. Abraços do jb.

Comentário de Elías Antonio Almada em 9 março 2018 às 10:48
Muito bom
Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 9 março 2018 às 10:40

Lindo poema Poeta João Batista.

Hoje li:

"Minha solidão não tem nada a ver com a presença ou ausência de pessoas...

Detesto quem me rouba a solidão

Sem em troca me oferecer

Verdadeira companhia..."

Nietzsche

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço