Anjo, adormece; perdoa a falta de tino...
...me libera em meu excesso de abuso,
e deixa que eu entre como clandestino
em teus sonhos...um louco...um intruso!...



Estes teus lábios umedecidos,
este teu corpo desejável;
deixa que eu os acaricie;
e os teus seios intumescidos,
minha sede insaciável
(anjo) deixa que eu sacie!...



Mergulho na fonte que me convida...
...e tu debaixo das cobertas
dormes em toda inocência tua...
...mas, na verdade és fingida;
me arrastas pra junto de ti, me apertas
sem pudores, semi-nua!...



Quisera assim fosse!...A falta de tino
(meu anjo) perdoa; e o excesso de abuso!...
Quisera em teus sonhos como clandestino
entrar; como um louco...um louco intruso!...

-------------------------------------------------------------

(GERALDO COELHO ZACARIAS)

Exibições: 13

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA quarta-feira

Muito bonito, louco e sensual.

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 11 junho 2018 às 17:02

Como na poesia, em sonho tudo pode.

Deste o arremate final, com essa pitada sensual.

Beleza de composição em ritmo.

Parabéns, meu querido amigo.

Bj, no coração.

Comentário de Elías Antonio Almada em 10 junho 2018 às 20:00

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço