No saber, eu quero, és quem eu quero
Não é algum engano, nem do coração
Se é preciso terei calma nesta paixão
E com paciência, assim, eu te espero

Até quando te aguardar? Sem noção!
Pois o meu amor por ti é muito sincero
E quando se sonha, tudo é próspero
E no afeto de verdade, nada é em vão

Se o tempo deixar, se não for austero
Aqui vou estar, irei além de ser razão
Neste ou noutro plano serei só seu

Nesta vida, eu, neste amar te venero
Se houver eternidade, com permissão
Pra poder dizer: amo você! Tudo valeu!

Luciano Spagnol
29/06/2016, 10'22"
Cerrado goiano

Exibições: 57

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 7 julho 2016 às 2:22

Comentário de Luciano Spagnol em 29 junho 2016 às 18:47
Obrigado pelo carinho dos elogios.
Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 29 junho 2016 às 11:27

Que belo poema!

Certos amores transcendem a vida terrena.

Parabéns!

Beijosssssssss

Comentário de Maria Iraci Leal em 29 junho 2016 às 11:14

Comentário de Janete Francisco Sales Yoshinaga em 29 junho 2016 às 11:05

Belíssimo poema!

Encantador, meus parabéns!

Beijos

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...