Apologia ao amor

De Té

Nenhum amor se perde ,

é como o amor de mãe ,

o amor de um filho

apenas fica gasto

e se esconde em lividos

fantasmas da desilusão

da morte do abandono da traição

mas o amor esse fica

sempre gravado no coração

fica adormecido

mas nunca esquecido

O sonho nunca morre,

São ansias da vida

São desejos que se cosomem

e se perdem no amar alto .

Tudo quanto o mar tem

e não lhe pertence

Ele devolve, e espraia.se

no rendilhado do areal

São sonhos de amor

vaticínios e continuam vivos

mesmo que se consumam

em tufões ou em crueis agonias

A morte deixa a dor da perda ´´

mas deixa tambem o amor

que foi vivido, ou apenas

um sonho que se consumiu

que não foi realizado

não seria bom presságio

e todos os castelos desabaram

mas as pedras ficaram

desse amor que a morte levou

que a indiferença destruiu

que a vida tansformou

em cruel tortura

Chora.se um amor desfeito

mas fica a obsessão

a chama ardente do amor

nunca é apagada

feita em cinzas

que se espalham pelos ventos

volta a acamar sobre a terra

reacende-se na alma e no sentimento

nunca se ausenta do objecto amado

e enche trilhos e matagais

serras e planicies

de sussurros e misterios

que se escutam por entre o assobiar dos ventos

e nem tempestades o podem destruir

O amor é sempre chama viva da alma .

.

De Té

Exibições: 57

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 13 abril 2018 às 11:23

BONITA sua apologia ao amor, Té.

Comentário de Etelvina Gonçalves da Costa em 13 abril 2018 às 10:12

Es un placer nostra amizade  graçias amigo Elias

Comentário de Elías Antonio Almada em 12 abril 2018 às 19:37

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço