Da solidão a gelidez abraça
Há nos lençóis um cheiro bom, reclama
Meros vestígios têm o quarto, a cama
Daquele amor descomunal... Desgraça!

O coração rói como infame traça
Bruta saudade, é lacerante o drama
Desesperado, quanto sal derrama
Chora, impotente... Tudo se estilhaça!

Da lua o brilho corta mais seu peito
Porque repleto de fotografias
Reminiscências trazem dor enorme

A noite é longa! Inane, vê sem jeito
O sofrimento, atrozes agonias
Beijos perdidos mima até que dorme...

Exibições: 21

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço