Bramidos...
O que sinto hoje, são os bramidos.
Bramidos da minh`alma são sufocados
Pelo imenso amor que em nós transborda
E pela beleza que o nosso amor nos dará.

Sem pressa, sem vontade de acabar,
Deixando as palavras em nosso olhar.
Bordo delicadamente fios de ouro em nosso luar
Para que as estrelas brilhem em nosso amar.

Sem ti sou eco morto em vales vazios,
Sou letra morta, molhada de pranto,
Sou versos a voar sem vida pelos cantos,
Sou rima ao vento sem encanto.
Sandra Galante.

 

Exibições: 82

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Sandra Galante em 9 agosto 2017 às 12:46

Comentário de Sandra Galante em 22 julho 2017 às 20:39

Obrigada!!!! Beijos

Comentário de Miriam Inés Bocchio em 21 julho 2017 às 22:54

Comentário de Geraldo Coelho Zacarias em 20 julho 2017 às 16:10

Bordaste delicadamente fios de ouro; não és vales vazios, nem letra morta...pois és estrelas brilhando de tanto amor!...
Amei!...Aplausos e beijos fraternos.

Comentário de Sandra Galante em 15 julho 2017 às 18:29

Gratidão queridas!

Comentário de Marcia Portella em 15 julho 2017 às 11:25

Belos versos. Abraço

Sem ti sou eco morto em vales vazios,

 

Comentário de ROSEMARIE PARRA em 14 julho 2017 às 9:33

Comentário de Sandra Galante em 13 julho 2017 às 20:33

Obrigada! Boa noite!

Comentário de Gustavo Antonio Drummond em 13 julho 2017 às 19:58

Maravilhoso poema,

Uma  noite  serena poetisa.

Comentário de Sandra Galante em 13 julho 2017 às 19:28

GRATIDÃO....FELIZ NOITE!

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Autores em destaque - hoje 

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...