Brilho Eterno

É nesta solidão que eu me encontro

Ela me transforma neste ser pleno

É nesta solidão que eu me conheço

Apesar de perdido no tempo terreno

 

Mas toda revelação tem seu preço

Faz do meu corpo um pedaço pequeno

Face ao gigantismo que eu desconheço

Então eu bebo deste amargo veneno

 

Solidão nem sempre é apenas tristeza

Mas talvez a melancolia seja eterna

Apesar da voz deste mundo moderno

 

Existem flores que florescem o ano todo

Será que a pura verdade é apenas engodo?

Porque nem mesmo o sol terá um brilho eterno.

Alexandre Montalvan

Exibições: 22

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...