*** ***

Cavalgando num dia de chuva
...
Não só para alimentar o cio da Terra, cai a chuva,
nem só para matar a sede d'Almas viventes
Ainda que geradas no mesmo solo onde caem
e para morar co'as Nuvens subam flutuantes
Só mesmo a Poesia para lhes contar a estória
da Bella do entardecer aos Poetas Amantes
.
Por razões que não lhes sabemos revelar
no Por do Sol amarelo da Praia em certo Mar
pode se ver a silhueta da Amazonas montada
no Alazão que cavalga na areia molhada
com Destino - dizem - a um lugar insabido
- Quem sabe se a procurar um Namorido...
.
Os reflexos do Sol beijam as silhuetas
destacando a Amazonas no Alazão
enquanto a Chuva caindo sem cessar
os deixa em fusão corpo e alma molhados
Há gente que jura em cima da Bíblia
que já viu ambos no ar, voando Alados
.
A verdade é que da verdade não se sabe
e nem inventa-la em Poesia nos cabe
No entanto - não se pode omitir jamais -
o que pela própria Chuva nos foi contado
que no fim do Galope a linda Amazonas
beija o Alazão que é seu PrincipEncantado!
*** * ***
160717 - 01:20AMBR - Zeca-Feliz - gaDs
*** Imagem Arts by: Livita
*** *** *** ***
Music Found: wild horses music video - CWCzZQqtf3Y

*** ***

jcas

jcas

Exibições: 25

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Marcia Portella em 16 julho 2017 às 11:17

Zeca, ler o que escreve é voar no mundo dos sonhos...Abraço

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço