CORAÇÃO A 37

O coração, há quem diga que é terra

Ou seja, uma terra em que ninguém pisa

Mas só teu coração desacelera

quando nele o amor ainda profetisa

 

Ah... esse teu coração tão ingrato

Que das curvas da vida desabita

Cisma em tal despedida como fardo

Sem velas, sem flores... talvez sem fita.

 

Ainda pulsa forte pela emoção

Quer seguir caminhos, encruzilhadas...

ou qualquer destino que se complete

 

Poder viver uma intensa paixão

sem tempo pra despedidas, chegadas...

Mas teima coração a trinta e sete!

Mônica Pamplona.

Exibições: 41

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Arlete Brasil Deretti Fernandes em 12 junho 2018 às 21:56

Querida Mônica.

Quando escreveste sobre  despedidas, na segunda estrofe, pensei que poderia ser alguém que se despedia da vida, mas, como poderiam haver outras interpretações eu me calei.

Parabéns mais uma vez, Beijo, Arlete.

Comentário de Arlete Brasil Deretti Fernandes em 12 junho 2018 às 21:45

Muito belos teus versos, querida Mônica.

Bem feitos e enigmáticos.

Lindos.

Beijos, poetisa amiga.

Comentário de Filomena Azevedo Leite em 11 junho 2018 às 18:27

Muito belos teus versos, Mônica! Assim como Laís, li e reli...

Esse coração entende bem quando o amor se aproxima...

Grande abraço, poeta!

Comentário de Lais Maria Muller Moreira em 8 junho 2018 às 19:18

 Orgulhosa de ti Mônica!!!!!!!!

Um enigma, que li, li e reli....e toda e toda vez...o senti melhor!

beijos

Comentário de Elisiário Luiz em 8 junho 2018 às 18:50

Maravilha creio que trinta e sente é um bom principio a ser educado só pelo fato de serem compostos por números impares

...resumidamente ser  o número Um, portanto é magnifico este status...Parabéns - Fique Bem!

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 8 junho 2018 às 17:07

Entendo que não me fiz compreender em meus versos. No fundo, era o que bem queria. Escrevi como em desabafo.

Contudo, o coração ao qual me refiro, a mim é de todo especial. Quanto ao número 37, infelizmente, são seus vagarosos batimentos cardíacos, tolhendo a vida saudável de um ser tão querido.

Agradeço, o carinho de todos aqui presentes. Tão bom, estar entre vocês.

Bj, no coração de cada.   

Comentário de Paolo Lim em 8 junho 2018 às 13:18

Sem termos condições de decifra-lo, o coração nos dirige à velocidade que quer. Belíssimo poema ! Parabéns à Mestra. Bjs do Paolo.

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 8 junho 2018 às 13:17

O coração dita caminhos - e às vezes descaminhos ...
Mas como não ouvi-lo ?...

Assim como olhos que se cruzam, corações que se encontram podem produzir sinfonias !

Parabéns, Amiga !!!

Bjss Wau

Comentário de Elías Antonio Almada em 8 junho 2018 às 8:10
Muito bom
Comentário de Jbcampos em 8 junho 2018 às 7:08

Oi Mônica, parabéns por essa bradicardia, porém, vamos acelerar isso. Adorei, meus parabéns com meus abraços.

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço