CACOFONIA

Aos vinte e cinco meses de mil e novecentos
Fundou-se a Casa Schiavo,
Que em versos alinhavo,
Pela imensa tradição,
Ferragem, mui bem, sortida,
Produtos pra toda a lida,
Se, encontrava sempre à mão!

Seu Pepu o proprietário,
Homem muito inteligente,
Comerciante competente,
Como igual, nunca se viu!
Tal era a popularidade,
Que em São Borja, minha cidade,
Seu nome, a loja assumiu!

Se, faltou, vai, lá no Pepu,
Dava-se a indicação,
Era grande a multidão,
Freguês, que de longe vinha!
Ninguém sequer duvidava,
Que no Pepu encontrava,
Pois, tudo, no "Pepu tinha!”.

Exibições: 25

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 3 fevereiro 2017 às 19:52

Que encanto, poeta!

Retrato de lembranças, poético.

Parabéns, pela rica criação.

Bjsss.

Comentário de Críspulo Cortés Cortés em 2 fevereiro 2017 às 5:34

Membros

Aniversários

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço