Estupro!

Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não! Não!

eu disse NÃO e feriste!
eu disse NÃO e efluíste!
eu disse NÃO e decaíste!
eu disse NÃO e usufruíste!
eu disse NÃO e fecundaste!
eu disse NÃO e achincalhaste!
em meus temores eu te disse NÃO!
em meus desgostos eu te disse NÃO!
em meus torvelinhos eu te disse NÃO!
mas teu crestar ao meu NÃO disse SIM!
e a ralé mordaz fez um SIM do meu NÃO!
não mais sei de mim ou se meu NÃO foi um SIM...

Nefertiti Simaika.

Exibições: 193

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Sílvia Mota em 18 julho 2016 às 0:50

Estimado amigo, poeta e escritor Críspulo Cortés Cortés,

Muito feliz, por tua visita e belo destaque.

Beijosssssssssss

Comentário de Sílvia Mota em 18 julho 2016 às 0:47

Querida Chantal,

Que felicidade, deparar-me com teu comentário por aqui,

ao meu "querido heterônimo" Nefertiti Simaika!

Agradeço-te, sinceramente.

Beijossssssssss

Comentário de Críspulo Cortés Cortés em 4 junho 2016 às 4:37

Comentário de Maria-José Chantal F. Dias em 1 junho 2016 às 18:05

DOLOROSO DORIDO

ULTRAJANTE

SEM PALAVRA A JUNTAR A ESTE

NÃÃÃÃOOOOOO !

SENTE-SE FUNDO EM NÓS ESTE POEMA........

CADA LETRA ENTERRA MAIS A DOR IMPOSSIVEL DE CALAR,

QUE SURDAMENTE TEIMAM OUVIR SIM

....................................sobra o silêncio ............................

Comentário de Sílvia Mota em 1 junho 2016 às 5:20
Comentário de Antonio Domingos Ferreira Filho em 31 maio 2016 às 16:15

A Arte mostra Beleza, Tristeza. Nesta a Construção de Significados .As mazelas desta hedionda violência segue crescente na extensão dos versos O simbolismo do E em Nãos, quem dera fosse E de Esperança. É uma marca a poesia, marca de cicatrizes abertas a quem tenha sofrido esta marcação inglória.

Com afeto e carinho

antonio 

Comentário de Dione Fonseca de Barros em 28 maio 2016 às 5:02

Revoltante, humilhante. hediondo e sem consciência.

Comentário de Isabel Cristina Silva Vargas em 17 outubro 2014 às 1:16

Comentário de Paolo Lim em 26 novembro 2013 às 8:09

Meu Deus ! Tem a força deste ato hediondo ! Parabéns.

Comentário de Marcia Portella em 25 novembro 2013 às 17:17

Realidade revoltante sem a punição justa..........

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço