Fim de um poema

Findara o poema,contudo,sentia,
Qu’as entrelinhas,indizíveis ditos,
Gritavam ,em meu Ser,versos aflitos!
Minh’alma se uniu à delicada poesia...

O poema,não mais dizia,calado ficou,
Mas,restava,silente,d’agonia no peito,
Qual leve ninho de passarinho desfeito,
Falava,apenas,do que fora e agora sou...

Reli o poema semi morto, insana procura...
Ouvi do silencio a voz, retumbante grito.
Ai!Qu’ alma do poeta era pura amargura!
Gritavam,pois,em meu Ser,versos aflitos!

Nas águas da ribeira uma folha sofrida...
Levada por marolas alegres,final destino,
Triste poema,vaga lembrança de menino.
Perdida poesia da historia de minha vida...

Exibições: 12

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...