Fui para almoçar e não para ver televisão
Está aberta e é hora do telejornal
Contrito vejo apertar meu coração
Aproxima a data do grande Carnaval

 

Mas não se fala do belo festival
Mas do Boko Haram e da incompreensão
Fui para almoçar e não para ver televisão
Está aberta e é hora do telejornal

Não quero acreditar na minha visão
Porque tanto terror e qual o final
Vou a internet ver tamanha destruição
Só pode ser a raiva do príncipe do mal
Fui para almoçar e não para ver televisão

 

Praia, 18 de janeiro de 2016

João Pereira Correia Furtado

http://joaopcfurtado.blogspot.com

Exibições: 52

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Críspulo Cortés Cortés em 19 janeiro 2016 às 12:29

Comentário de Maria Iraci Leal em 19 janeiro 2016 às 10:42

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 18 janeiro 2016 às 15:41
É inevitável, ao se ligar o televisor. Desgraça que não acaba mais.
Excelente criação, amigo.
Parabéns.
Bjssss.
Comentário de Sílvia Mota em 18 janeiro 2016 às 13:14

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço