Tem dias: oh dias!!!

            Que vem um aperto,

            a saudade de quando ria, 

           na solidão de um dia suspeito.

           Porque viestes?

           Estava adormecido,

           rompi a folha e, as vestes,

           em gesto corrompido.

           Na folha estava seu nome,

           nas vestes o teu cheiro.

           De quando matavas a fome,

           tão minha, tão sua, amor feiticeiro

   Neide HimenesImagem google.     

Exibições: 14

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Paolo Lim sábado

Excelente ! Meus aplausos ! 

Comentário de Dulce de Souza Leao Barros sábado
Parabéns! Muito lindo o seu poema!
Comentário de Elías Antonio Almada sábado

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA sábado

Adorável poema Neide.

Comentário de Marcia Portella sexta-feira

Neide versos lindos repletos de  significados...Abraços

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...