Hesitações

De Té

Espanto os meus medos

Reforço os meus sonhos

Exorcizo fantasmas

Supliciantes e usurpadores

Acolho-me á plenitude

Que o universo presenteia

Aonde posso libertar

A torrente que da minha essência

 Me devasta

Solto-me de inquietações

E deixo-me arrebatar

Até onde a idealidade me permite

Olvido que as angustias

Se ampliam nos medos

Que a debilidade me acorrenta

e o quebrantamento me domina

Caminho e castigo

A renúncia

Que se acalora e se embrenha

Veemente e imobilizadora

Na fogosidade da minha caminhada

Mas olhando mais além

Vejo no alvorecer das minhas hesitações

 O engrandecimento

Do horizonte matizado

Prenúncio de um dia de resplandecente primavera

De Etelvina Costa

19-05-2017

Exibições: 9

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...