No limiar de nova era.
é tudo divergente, fugaz,
horas velozes, tempo ágil,
entes robóticos, androides,
o amanhã não espera,
acontece agora, assaz
intrépido. Vida frágil;
frascos metálicos
de morfina sintética,,
assassinam asteroides,
inexiste papel, plástico,
O céu se elevou ao pico,
renovou-se a estética,
estrelas não caem mais,
generalizou-se o circo;
o mar perdura,
faleceu o cais.

(gustavo drummond)-BR-

Exibições: 16

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço