Horror e Prazer

Não existe Deus?!

A não ser que eu morra

a finitude leva os teus e os meus

a este palco, que mais parece uma zorra

 

O universo é feito de coisas finitas

onde o eterno não tem vez não

quando o eco reverbera o que grita

não há o retorno da razão

 

Mas amores se eternizam no tempo

laços inquebrantáveis do sentir

que fluem em laminas de fogo intenso

solidificados para sempre ao se unir

 

Porem, isto tudo é feito de lastro

para um necessário e profético fluir

o amor é uma bandeira e o seu mastro

sempre desaba como uma casa ao ruir

 

Quando na vida a enganação é o poder

será que a verdade é apenas minha ou tua?!

ou será um espetáculo de horror e prazer

escondido na face oculta da lua.

Alexandre Montalvan

Exibições: 48

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Sílvia Mota em 2 agosto 2017 às 14:20

  Fortes... tanto a imagem quanto o poema.
  Beijossssssssssss

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço