HUMANIDADE PERDIDA

A humanidade está cega,
muda, estática, distante,
Não se nega
o pão á quem tem sede
de comida. Seres beligerantes,
omissos, esquisitos; sem abraço,
rejeitam que tem fome
de ternura. Caminha sem norte,
ofegante, ausente, distante.
Predominam conflitos, embaraços,
são tantos seres sem fé, sem nome;
abandonados á própria sorte.
O mundo se vê reduzido
á uma fábrica de falsas cópias,
falsidades impressas,
sem vida própria,
só ilusão confessa.

-gustavo drummond-

Exibições: 35

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 21 fevereiro 2018 às 14:22

Muito real, lastimavelmente.

Comentário de Elisiário Luiz em 19 fevereiro 2018 às 0:49

 Muito bem pois realmente perfeita e clara ser essa a resenha Parabéns - Fique Bem!

Comentário de Dulce de Souza Leao Barros em 18 fevereiro 2018 às 20:59
Parabéns! É uma verdadeira tradução da situação atual em que vivemos.
Comentário de Elías Antonio Almada em 18 fevereiro 2018 às 12:11

Comentário de JOSÉ CARLOS RIBEIRO em 18 fevereiro 2018 às 5:47

Um poema com belas palavras sabias onde o sentido da vida parece não ter valor. Reflexivo

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço