De repente a noite cai

Cerram meus olhos

E amores se vão.

Como máquinas as células param,

E o meu respirar se envaidecem.

Só momentos plenos,

Únicos e capazes.

Sou aprendiz da vida,

Numa noite ilusória a que sou poeta.

São Paulo, 21/3/2017.

Exibições: 11

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...