A vestimenta negra destes dias
Estampa roseirais desencantados
É trágico o destino dos sonhados
Finais que acalentei quando sorrias

Mais nada que ilusões, vãs alegrias
Os meus desejos jazem fulminados
Nas águas de plangores dominados
Pelas lembranças foscas, fugidias

À sombra de infortúnios torturantes
O coração se esvai, sucumbe aos poucos
O desamor é tão duro castigo...

Enrosco-me em espinhos vergastantes
Sofrendo desse mal que aflige loucos
Em cada vil delírio estás comigo

Exibições: 15

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço