Louco Mundo Louco

 

Eu não gosto das coisas pueris mais cantadas

do som e dos longos batuques ritmados

muito menos das foices grenás e dos machados 

ceifando almas neste mundo civilizado

 

Eu gosto do rio roto, fétido esgoto

que quente corre viscoso em minhas veias

e que cheio de lodo pomposo e maroto

como ondas sujas que vão morrendo nas areias

 

Eu sou o fel que no mundo vê assombrado

cabeças em buracos como avestruz

nas terras que acreditam que tudo é pecado

 

Onde se rezam por Jesus pregado na cruz

guerras em que crianças morrem nos braços das mães

e onde pessoas comem em lixões como urubus.

 

Alexandre Montalvan

Exibições: 32

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Neuza de Brito Carneiro em 17 fevereiro 2018 às 22:16

Incrivelmente verdadeiro! Parabéns!

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 15 fevereiro 2018 às 10:59

EXCELENTE denúncia da nossa triste realidade. Parabéns.

Comentário de Paolo Lim em 15 fevereiro 2018 às 9:10

Denúncia criativa. Bravoooooooooooo ! Abraços !

Comentário de Elías Antonio Almada em 15 fevereiro 2018 às 3:42

Comentário de Elisiário Luiz em 14 fevereiro 2018 às 23:15

É isso aí caro amigo muito bom lá e cá esse nosso paraíso  com suas contradições...Fique Bem!

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço