Memórias

De Té
Naquele dia recordo como vinhas
Avivaste-me a memória de visões
Como se fossem bandos de andorinhas
Anunciando a primavera de emoções

Meu sentimento aqueceu meu coração
Enchendo o meu corpo de ternura
Dos pinheirais  absorvia a doação
Do odor da seiva que perdura

O vento anunciava tempestade
Teus olhos de bonança me aquietaram
Fixando-se nos meus que em alvoroço

E de carinhos teus precisados
Que perduravam em meu coração
Nunca esquecidos de afectos teus.


De TÉ Etelvina Costa´´20.04.2017

Exibições: 17

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Nieves Merino Guerra em 24 abril 2017 às 14:47

La imagen puede contener: texto

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...