A solidão atroz, muito me atormenta

Meu corpo esta cansado de viver

Pois, não quer mais mentira reviver

A minha mente enfrenta vil tormenta.

Vou manusear toda ferramenta

Com a infelicidade conviver

Mas, mesmo triste vou sobreviver

Com bela indumenria, vestimenta.

Este é o valor do meu tropeço

Fenecer de tristeza, vil saudade

Pagarei sem protesto este alto preço.

Pois, tenho sido escravo da vaidade 

Porém, é quanto vale ter apreço

Por alguém sem amor e dignidade.

ILARIO MOREIRA

22/06/2017

Exibições: 14

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço