Narciso

Nas ondas
sonoras do teu riso, sorrisos
que fluem como um rio
que te levam a um lindo paraíso
na densa
ardência de um cio

Na noite
se lança no improviso, neste clímax
amoroso e infantil
colibri 
enfeitiçado e sem juízo
tão
doce jeito, delicado e macio

Um amor
que assim chega sem aviso
e
percorre no teu corpo em arrepio
na imagem
refletida do Narciso
que
morreu na beira de um rio.

SorrisodeRosas


Exibições: 20

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Membros

Aniversários

Aniversários de Amanhã

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço