No dia seguinte de manhã Maronil começou a marcha sobre o limbo,chegando ao cume do bizarro.

Passando por cenas do fim do mundo...

deixo a tarefa de perseguir meus sonhos.

Maronil tinha agora a missão possível de passar tudo para as telas do real.

Reunir meus personagens

os infelizes pensaram que iriam ser eliminados...eu os tranquilizo e os anuncio...

vou liberta-los nas telas.

Exibições: 40

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Maria Iraci Leal em 12 agosto 2015 às 10:18

 Maronil Marcos Martins 

Gostei imensamente, demais,

parabéns poeta, bjs MIL.

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...