O homem é incompreensivo sobre o espírito
E concentra-se, por natureza, na matéria...
Porque é visível, palpável e consumível;...
Não é por acaso que todos somos parecidos:
Bons quando nos convém e uma miséria
Assim que nos "calcam os calos", de propósito!
A vida humana, sendo efémera, é ilusória
E torna-nos, muitas vezes, distraídos...
Tanto assim porque achamos que é alheia
A pouca sorte de se adoecer e até morrer!
Porém existe uma coisa, com um nome esquisito,
Chamada DNA, o suposto registo genético,
Que embora seja do âmbito científico e médico,
Traz-no indicadores de maldade e bondade,
que não somos capazes de controlar:
Quando a "tampa salta" e a "panela" ferver,
Não há estímulos angélicos suficientes
Para acalmar a fúria que se veio a acumular!
Agora, doce de fazer "crescer água na boca"
É quando a felicidade faz mostrar os dentes,
De uma alegria que sente o coração pular
E abraçarmo-nos de tão contentes...
Joantago

Exibições: 24

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de María Cristina em 4 janeiro 2018 às 16:18

Comentário de Marcia Portella em 4 janeiro 2018 às 15:17

Texto para ler e refletir sobre o outro que vive em nosso interior...

Comentário de Elías Antonio Almada em 4 janeiro 2018 às 14:33

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 4 janeiro 2018 às 12:33

Os gens do DNA podem ser modificados.

Agora podemos mudar a nós mesmos, injetando ou retirando, conforme sucesso de experiências laboratoriais.

Membros

Aniversários

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço