Resultado de imagem para gif o que há por vir

A crosta dos barrancos vai se esvaindo

e se dilui na água marinha lambendo o sopé

vento e maresia num abraço se unindo

banindo a argila, quais os sargaços no rodapé

 

A calvície das rochas ganha toda a extensão

das falésias perfiladas no promontório

trágico e secular desmanche da construção

arenosa e, no tempo, um seu adjutório

 

Cismando na ponte do velho cais

devaneios se insurgem contra a devastação

nas treliças de suas longarinas

o mar enfurecido provoca a arrebentação

 

Aves projetam-se nos ares audazes e voláteis

meu peito bate teimosa esperança

intuições me ocorrem de maneiras táteis

e a credulidade por vez me alcança

Exibições: 30

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Eri Paiva em 27 março 2017 às 20:32

Parabéns Rui, muito bom!

Comentário de Neuza de Brito Carneiro em 20 março 2017 às 21:32

Interessante linguagem!

Comentário de Elías Antonio Almada em 18 março 2017 às 14:39

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 18 março 2017 às 12:13

Bela inspiração, estimado poeta Rui do Vale Paiva!

Conteúdo temático relevante em primorosa linguagem.

Parabéns e Felicidades!

Comentário de Lúcia Cláudia Gama Oliveira em 18 março 2017 às 3:50

 Beleza em inspiração!

 Parabéns.

 Abraço.

Comentário de m do carmo f.de assis em 16 março 2017 às 19:27

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...