Obra-prima

 

Quero escrever soneto lindo, esplêndido

Que a minha poesia imortalize

Tem que ser construído sem deslize

Para que possa ser bem sucedido.

 

Este afazer irá ser difundido

Que este labor sereno realize

Alce ao firmamento sacralize

Seja o dom, o talento assim fundido.

 

Não pense que será vã insolência

Sei que não é também insanidade

Buscar com singular guisa a excelência.

 

Porém, livre da tosca e vã vaidade

Não é ele sutil, vil, indolência

E sim, uma ode a minha habilidade.

 

ILARIO MOREIRA

16/06/2017

Exibições: 45

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Ilário Moreira em 21 junho 2017 às 20:39

Obrigado, poetisa amiga, sua visita sempre será bem-vinda. Abraços, paz e Luz!!!

Comentário de Nieves Merino Guerra em 21 junho 2017 às 19:15

Comentário de Ilário Moreira em 20 junho 2017 às 17:41

Na vida somos eternos aprendizes, engana-se quem esconde-se sob o manto pérfido da sabedoria absoluta, sou e sempre serei um mero aprendiz nesta Terra de expiação e provação, espero que meus Mentores Espirituais me auxiliem sempre tornando meu fardo mais leve e, minha evolução espiritual mais rápida. Que eles possam sempre me conter, privar-me de minhas fraquezas, tornar-me humilde, banir de minha vida a arrogância, pretensão, dissimulação, etc... Abraços, paz e Luz!!!  

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 20 junho 2017 às 11:23

  Releio o teu soneto, para comentar-lhe o conteúdo temático.

Ao meu olhar, no momento em que o poema nasce - soneto ou não - perde o caráter individualista e passa a ser universal. Oferecido ao leitor, penetra-lhe os sentidos, a desafiar inúmeras interpretações. Sendo assim, concordo que seja necessário o aprimoramento dos frutos da nossa inspiração e, nesse sentido, o espírito de aprendiz eterno é uma grande conquista.

Em tuas linhas, percebe-se paixão e o desejo de conquistar o Belo, na sua verdadeira expressão. Aplaudo-te os anseios e espero que possamos ler, sob a tua autoria, muitas excelentes obras.

Desejo-te sucesso, sempre!

Beijosssssssssssss

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 19 junho 2017 às 22:20

Belos versos, poeta.

Parabéns.

Comentário de Ilário Moreira em 19 junho 2017 às 8:45

Será um prazer visitar o grupo temático, Teoria Literária, assim como, ler suas obras. Abraços, paz e Luz!!!

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 19 junho 2017 às 1:13

Também sou apaixonada pelo sonetos, em particular, os alexandrinos.

O ritmo é imprescindível ao bom soneto. Forçar a contagem das sílabas tônicas é um crime, sempre cometido, contra o belo formato poético. Nesse sentido, o exercício será constante e cuidadoso, até que os versos abrolhem com naturalidade. As rimas ricas, ao serem privilegiadas, encantam o leitor.

Convido-te a visitar nosso grupo temático: Teoria Literária. Lá encontrarás, entre outros, dois textos da minha autoria, a respeito dos sonetos:

Encanto dos sonetos na vida do poeta - Sílvia Mota

Sílabas gramaticais e sílabas métricas: diferentes? - Sílvia Mota

Espero que aprecies os meus estudos.

Beijosssssssss

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...