Onde será que você está agora?

De Té

Lembrando o dia, em que me enfeiticei.

No acaso da vida ,onde te encontrei

Não sei como foi, mas lembro-me assim

Meus olhos se colaram ,e presos ficaram

Á tua feição tua harmonia

Teu ar de menino, que me seduzia

Teus olhos tão lindos ,que não me viam

Cogitava eu, mas como me enganava

Pois tu com eu, preso já estavas

Num encantamento, que a ambos agitava

Meu peito apertado, arrebatava-me o alento

Eu queria falar, mas não tinha voz

Era o mistério, que nos cingia

Eu e tu, únicos numa multidão

Absortos a tudo, apenas o coração

Esse batia forte, em cada um de nós…

Muita emoção, um toque de mãos…

E onde será que você está agora?

De Té

Exibições: 24

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 3 julho 2018 às 22:29

Mais um poema belo da coleção "Té".

Comentário de Elías Antonio Almada em 27 junho 2018 às 21:00

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço