PAGANDO PELOS MEUS ERROS

 

Perdi o controle quando te humilhei

Disse coisas que não queria dizer e fui mal sucedida

Estou tentando descobrir uma forma razoável

De falar como estava errada e confusa

Se o deixar partir meu coração vai chorar

Serei arrastada e abatida por mim mesma

Não posso fazer isto comigo sem lutar

Preciso apressar meus passos antes de te perder

Não quero ficar sozinha no meu abraço desconsolado

Lutarei para apagar meus erros das promessas e mentiras

E de todas as vezes que você foi renegado

Não posso perder quem eu amo de verdade

Errei pelos caprichos de uma mulher imatura e irresponsável

Espero que ainda dê tempo de fazer você me amar outra vez

Exibições: 71

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 2 abril 2014 às 22:50

Oi Monica

Verdade seus conselhos,as vezes extrapolamos nas agressões e acabamos arrependendo rsrsrsr

Obrigada  querida pelas lindas visitas

Beijossssssss

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 2 abril 2014 às 2:30

Arrependimentos acontecem depois de algumas palavras agressivas.

Por isso o melhor é nunca deixar que sentimentos negros se expressem através das palavras.

Bjssss  querida.

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 1 abril 2014 às 20:15

Oi Mariângela

Acho que estamos com transmissão de pensamentos rsrsrsr

Obrigada querida pelas visitas sempre iluminadas

Beijosssssssssssssss

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 1 abril 2014 às 20:14

Oi Silvia

Quando erramos pagamos preço alto demais

Temos que nos vigiar melhor rsrsrsrsr

Obrigada pelos belos comentários

Beijosssssssssss

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 1 abril 2014 às 20:01

Obrigada Lais pelos comentários inteligentes e bem complementados

Meu carinho...Gde beijo

Comentário de Mariangela Nunes Pamplona em 1 abril 2014 às 13:45

Parece que nossos poemas sempre se completam! Sensivelmente perfeito querida!

beijossss

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 1 abril 2014 às 13:40

Às vezes, erramos tanto, sem a consciência do quanto amamos...

O sofrimento é certo, nestes casos...

Belo e sensível poema, que alcança meu coração.

Beijosssssssssss

Comentário de Lais Maria Muller Moreira em 1 abril 2014 às 7:40

O passado nos surge em vultos parecendo ser melhor do que realmente foi. O lado melhor de todas as coisas é conformar-nos com o que fomos e com o que somos e estabelecer a diferença existente

Dias galgados nos tornam seres bem diferentes!

Belos versos Selda!

beijo

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...