Palavras em turbilhão,

A saltar para o papel

Saídas do meu coração

Onde guardo palavras de mel.

Tempero-as de cravinho e sal.

Espero que a ninguém façam mal,

Juntei-lhes uma raspa de limão

E acarinhei-as com minhas mãos.

À paixão juntei deslumbramento e amor

E ao amor, muita cor e muita flor

Tudo viçoso e com muita frescura

Juntei a todas elas muita ternura

E estão prontas a servir e a  comer

Prove-as e diga-me se alguma quer

Elas ficaram todas, uma doçura

Vou dispo-las em cachão

E sei que elas brilharão

Quando ouvirem falar delas

Pois sentem-se felizes e belas.

E para não caírem no chão

Com elas fico em comunhão,

E o meu caminho guiarão

Estas minhas palavras em turbilhão.

Galoparam tanto, tanto

Que ficaram um encanto.

Deixo aqui a letra G—E a minha Gratidão.

 

09-07-2016

Maria Silvéria dos Mártires

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 112

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Sílvia Mota em 9 agosto 2016 às 9:25

Comentário de Maria Iraci Leal em 4 agosto 2016 às 21:46

© 2019   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço