Perdoa-me

Perdoa-me se te faço triste

tudo é somente um poema

para sentir ainda que se existe

e não é nenhuma dor suprema

 

Se de um jardim eu fiz um sacrifício

E todas as flores joguei pelo chão

vamos então voltar ao inicio

e com tato florir o teu coração

 

Eu não pude conter o riso

nunca fui triste ou quiçá feliz

eu faço tudo no improviso

sou seco como nunca eu quis

 

Sou como a folha de outono

lançada ao vento sem algum destino

sou um cão que caminha sem dono

eu sou a nota aguda de um violino.

Alexandre Montalvan

Exibições: 71

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 13 março 2018 às 8:58

Vamos lá Precioso Poeta:

"Vamos então voltar ao inicio
e com tato florir o teu coração."

Comentário de María Cristina em 12 março 2018 às 21:27

Comentário de Elías Antonio Almada em 12 março 2018 às 12:15

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço