pingo

de

amor

poeta, músico por excelência

ao vibrato vocal de sua poesia

na ondulação expressiva  mental

de sua paixão  ideal. a sua poesia

completa sua  real fantasia dia a  dia.

como  o pintor ao tocar com seu pincel

à  arte  formidável  de antanho menestrel.

paz, fé, dignidade, amor o povo diz  em coro

à  Midas, ao vê-lo transformar estanho em ouro.

ao  tocar  à flor, o  poeta exala  o perfume do amor,

fala, vibra, dando  vida reta à natureza  morta do pintor.

seu pincel tange na plangência sonora e cromática da dor

pungente a qual toca o coração de toda a gente, porém, vem

consequentemente a alegria triunfar e sobrepujar ao tomar lugar

da  dor, sempre  ao se ouvir  a  voz do poeta trovador benemerente

neste sínodo, bruxo como a pancada do cinzel do escultor presente,

amaciante  como amorável  juiz ao padecer  do paciente inocente.

neste

badalo

você está

presente,

badalando

sino aqui

vigente.

poeta você está presente em toda a gente

a rodopiar neste pião ao perder a rima

constantemente.

na etérea simetria matemática, maestro, maestrina, santa mão

de quem segura o cinzel. com  maestria e  performance de mestre,

semelhante à batuta do cientista da palavra de quem lavra com a fala

no  justo tribunal, empunhando  sua espada  sem  ignorar a tertúlia

do  exímio ou do rábula em sua fábula, ou ao punhal do irmão

o qual tornou-se irracional. apenas um imortal em ação

com  seu  bisturi  à mão a livrar o contraventor

da tão velha contravenção, avençando

sempre à memória de referência

sem igual em deferência

à  obra  imortal

do  amor

maior

D

e

u

s

.

para

perder

a  rima

em sua

cisma.

poeta,

pingo

de mel

jbcampos

Exibições: 84

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Jbcampos em 26 maio 2018 às 23:30

Grato, Margarida, realmente você sabe matar o ego, aonde a humildade vai a honra chega primeiro, parabéns pela generosa entrega. Obs. Gosto de ler suas bobagens. Abraço campônio.

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 26 maio 2018 às 23:05

AMIGO Poeta JBCampos,

Qualquer coisa que eu escreva será bobagem. Muito encantada e agradecida.

Comentário de Jbcampos em 26 maio 2018 às 22:50

Obrigado, Neuza, pela sua generosidade. Abraço do campos.

Comentário de Neuza de Brito Carneiro em 26 maio 2018 às 22:20

Como sempre, seus poemas encantam.

Comentário de Jbcampos em 26 maio 2018 às 18:01

Almada quem agradece sou eu. Grato pela deferência, aquele abraço do campos.

Comentário de Elías Antonio Almada em 26 maio 2018 às 15:27

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço