Pobre coração

Nada que
me dizes é de valia justa
na
minha vida só importa a paixão,
no amor
eu já paguei demasiada custa
e só
encontrei a dor e a destruição.


Sei que
tu pensas em uma vida plena,
e que
me queres para sempre, não lhe tiro a razão
esqueces, entretanto,
que sou uma joia pequena
que
não sou partida nem chegada, sou apenas emoção.


É na efemeridade
que eu te peço, me defina
move-me
a ânsia pura e cristalina
de vida
livre sem nenhuma amarra ou prisão.


Não sou
um farol, mas sim uma lamparina de cordão
ando
solitária por montanhas e colinas
só assim
levo a paz ao meu pobre coração.



SorrisodeRosas


Exibições: 76

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Miriam Inés Bocchio em 9 agosto 2017 às 16:38

Comentário de Críspulo Cortés Cortés em 7 agosto 2017 às 2:21

Comentário de Elías Antonio Almada em 5 agosto 2017 às 3:01

Comentário de Paolo Lim em 4 agosto 2017 às 20:17

Sensacional ! Aplausos !

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 4 agosto 2017 às 14:36

Muito bonito. Especial.

"... me defina move-me a ânsia pura e cristalina de vida livre sem nenhuma amarra ou prisão."

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço