porquê um poema

 

tão somente porque é um poema

o sonho à espreita aqui mesmo

à mão de semear de quem o sorve ou o semeia

 

o suco da vida em emoções condensado

um rio que em nós flui até à foz

na dádiva da entrega espraiado

 

e é grito de revolta, de lamento, ternura, amor

 

o sonho mora aqui

 

 

 

 

Ana T. Freitas

Exibições: 35

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Ana Maria Teixeira Freitas em 22 agosto 2016 às 9:06

Muito grata, Críspulo Cortés Cortés, pelas suas palavras e amizade. 

Comentário de Críspulo Cortés Cortés em 21 agosto 2016 às 15:25

Membros

Aniversários

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço