Quando o amor acabar

Quero-te mais que tudo, sobretudo

submerso nesta solidão,

até o mar furioso se faz de mudo

e as suas ondas morrem nas areias

pela dor do meu coração.

 

A calmaria me é trazida pelo vento

mas o pensamento não quer desligar,

este amor é mais que um tormento

e a todo o momento grito teu nome

para tentar me enganar.

 

Não! Não me digas nada agora,

bem sei que qualquer hora você vai dizer,

não há verdades por dentro ou por fora

porque no âmago

o teu amor não demora a desaparecer.

 

Tão tênue é a linha da razão

neste lúgubre deserto de tantas tristezas

quando todos os mistérios do coração

emergirem das suas profundezas,

mesmo a mais intensa emoção

será para mim fruto da sua cruel aspereza.

Alexandre Montalvan

Exibições: 33

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 15 janeiro 2018 às 12:06

Profundo sentimento. Parabéns Alexandre.

Comentário de Dulce de Souza Leao Barros em 15 janeiro 2018 às 0:40
Parabéns! Muito emocionante essa sua declaração de amor.
Comentário de Elías Antonio Almada em 14 janeiro 2018 às 17:31

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço