Flama indócil me envolve, atordoa
No meu peito derrama centelhas
Quando em mim dessas curvas vermelhas
Cai a luz, meu amor.  Vago à toa!

Nos sentidos sem norte, confusos
Tu me sopras queimantes bafejos
Onde enrosco inquietos desejos
Que gritavam sofrendo, reclusos

Nos espasmos volúpia jorrando
Tuas mãos tomo e sorvo enlevado
A doçura de um beijo perfeito

Teu sorriso lindíssimo, brando
É dos céus o portal e, acordado
Nele sonho prazer satisfeito

Exibições: 30

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Iván em 24 abril 2017 às 21:08

El amor... la locura.

La razón se queda en casa. Del corazón es fiesta.

Todo es revolución. 

Un gusto leerte, amigo Jerson. 

Espero haber interpretado bien. 

Que tengas buen día. 

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço