Ouvi simplesmente a palavra "mãos ao alto"
(ainda lembro da arma, um forte brilho)
anunciando-me que aquilo era um assalto;
"não se mexa, ou eu aperto o gatilho..."

==============================

Imóvel permaneci; cheio de muito pavor,
amedrontado com desagradável surpresa...
Não possuía eu, nenhum bem de valor
era eu no entanto...frágil presa!...

==============================

"Dá-me (disse) desse assalto, o motivo,
o que quero é o mais valoroso de teus bens,
que é o bem maior que te mantém vivo...
...que é o maior bem que conténs!..."

==============================

Disse: "A princípio, um beijo teu, então roubo;
quero de ti, a melhor reação..."
Me tomando de assalto; num arroubo;
levou consigo...O MEU CORAÇÃO!...

==============================

(GERALDO COELHO ZACARIAS)

Exibições: 32

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Nieves Merino Guerra em 24 abril 2017 às 14:31

La imagen puede contener: texto

Comentário de Malu Silva em 12 abril 2017 às 9:56

Enquanto nos roubam o coração e cuidam bem dele é muito bom!!!

Bom dia!

Comentário de Elza Ghetti Zerbatto em 11 abril 2017 às 10:47

Um lindo rapto de amor e criatividade!
abração com carinho

Comentário de Sandra Galante em 10 abril 2017 às 11:03

Que terna poesia! Adorei! Bjos

Comentário de Lais Maria Muller Moreira em 10 abril 2017 às 9:26

Delícia de leitura!

Adorável Geraldo!

beijos

Membros

Aniversários

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço