RECORDO AINDA - MÁRIO QUINTANA [IN A RUA DOS CATAVENTOS VIII]

 RECORDO AINDA

VIII

(Para Dyonelio Machado)

Recordo ainda… e nada mais me importa…
Aqueles dias de uma luz tão mansa
Que me deixavam, sempre, de lembrança,
Algum brinquedo novo à minha porta…

Mas veio um vento de Desesperança
Soprando cinzas pela noite morta!
E eu pendurei na galharia torta
Todos os meus brinquedos de criança…

Estrada afora após segui… Mas, ai,
Embora idade e senso eu aparente
Não vos iluda o velho que aqui vai:

Eu quero os meus brinquedos novamente!

Sou um pobre menino… acreditai…
Que envelheceu, um dia, de repente!

Mario Quintana 

 

A rua dos cataventos. Coleção Mario Quintana. 2a. edição. 6a. reimpressão. São Paulo: Globo, 2005. p. 26)

Daí o cognome de Quintana que tanto gosto [e li este cognome uma vez só , quando ele escrevia para a extinta revista Manchete - nunca mais] MARIO "MENINO" QUINTANA  [M.M.S]

Exibições: 15

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Antonio Cabral Filho em 31 março 2017 às 9:38

Ótimo recordar Mario quintana. Parabens

Comentário de Maria das Graças Araújo Campos em 31 março 2017 às 9:37

Bela postagem, querido escritor, Mauro Martins! Obrigada! Bjssss

Membros

Aniversários

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Autores em destaque - hoje 

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...