Sou-te sereia, mas não me vês... [Soneto Alexandrino Sensual]




 
Sou-te sereia, mas não me vês...

Senhor, sereia sou, mistério incontroverso,

exibo-me quimera, arranco-te queixumes.

Ao embalo deste mar – fullgás – sou teu reverso,

a dor que não se esconde – um verso em mil perfumes.


Revelo-te em meu corpo as vidas do Universo,

beleza transcendente, arfar de vis ciúmes.

Ao embalo deste mar – fugaz – um corpo emerso,

resvalo ao teu olhar – não brilhas aos meus lumes.


E canto e canto e canto! Excelsa em tom ardente!

Rastejo ao teu mistério e louca em ti delinquo

ao verso, numa estrofe, em mim tudo é cadente!


De que valho em paixão? Em ti nem sou sagrada!

Ao vento do arrebol meu canto tão longínquo

é sonho, é ária, é luz, é sombra, é dor, é nada...



Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Cabo Frio, 24 de março de 2010 – 16h34

Fundo musical: Ernesto Cortazar. Dying of love

Exibições: 378

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Etelvina Gonçalves da Costa em 15 dezembro 2017 às 20:38

Lindíssimo este soneto achei uma maravilha perfeito Sou-te sereia mas não me vès De que valho em paixão? Em ti nem sou sagrada!
Ao vento do arrebol meu canto tão longínquo
é sonho, é ária, é luz, é sombra, é dor, é nada... destaquei esta parte mas todo ele é belo .... parabéns silvia ....beijinhos

Comentário de Etelvina Gonçalves da Costa em 15 dezembro 2017 às 20:32

.

Comentário de Nieves Merino Guerra em 24 abril 2017 às 14:29

La imagen puede contener: texto

Comentário de Sílvia Mota em 6 abril 2017 às 0:28

Querida Lufague...

Sempre é uma honra receber-te nos meus versos.

Beijosssssss

Comentário de Sílvia Mota em 6 abril 2017 às 0:27

Querida Malu...

Feliz, pela leitura e observações realizadas.

Beijossssssssssssss

Comentário de LUCIA GUEDES (Lufague) em 2 abril 2017 às 2:41

A sereia canta o amor na perfeição da poética melodia! Muito lindo! 

Comentário de Malu Silva em 1 abril 2017 às 19:40

Essa métrica toda sonora e perfeita é vista, hoje em dia, em raros lugares.

Escansão dos versos, procura pela divisão correta e palavras certeiras, hoje em dia, poucos conhecem.

Adorável, Sílvia!!!

Comentário de Sílvia Mota em 4 junho 2015 às 18:11

Querida Marcia Portella, tua palavra, para mim, é ouro. Muito obrigada! Beijossssssssss

Comentário de Marcia Portella em 3 maio 2015 às 14:59

Silvia,seus sonetos são  sonhos tecidos em fios de paixão...

'Rastejo ao teu mistério e louca em ti delinquo'

                                                        

Comentário de Sílvia Mota em 3 maio 2015 às 14:23

Querido Poeta Geraldo,

Tuas palavras enlevam meu espírito!

Muito obrigada.

Beijossssssssss

© 2019   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço