Suave tristeza

Se a ventura não vier algum dia,
Sentindo-me pássaro de ninho caído,
Suave tristeza , rever o tempo vivido,
Minh’alma em esplendida harmonia...

Se,algum dia,desfizer de mim o sonho ,
Há que se ter ultima, derradeira crença!
Tosco altar d’açucena, flores eu ponho,
Perdida em mim a esquecida querença...

Não basta ,pois,perder tudo que é belo!
A ventura,sei, chegará,então, nalgum dia...
Absorto com rodopio do girassol amarelo
Dilui a suave tristeza,nasce louca alegria!

Se,algum tempo de suave tristeza vier,
Levando à ilusão, delírio em desalinhos,
Acordarei até os sonolentos passarinhos!
Na busca ,oculta sob penas,verdadeira fé!

Exibições: 87

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 10 maio 2018 às 18:38

Que forma especial de descrever uma suave tristeza...

Comentário de Antonio Carlos Santos Rocha em 7 maio 2018 às 20:44

Muito grato pelas palavras de carinho!!

Comentário de Marcia Portella em 7 maio 2018 às 17:07

Como é gratificante encontrar seus belos  versos em um fim de tarde..

Comentário de Antonio Domingos Ferreira Filho em 7 maio 2018 às 15:28

Bela Poesia. Construção e ventura. Parabéns

Comentário de Elías Antonio Almada em 7 maio 2018 às 0:42

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço