Tuas digitais

 

A brisa que vem de fora

Toca em meu rosto,

Trás consigo o teu cheiro

Que entranha no meu corpo,

nele me embriago

e sinto um febril calor.

 

Tuas digitais nunca irei apagar

elas se evidenciam em mim

aflorando ainda mais

nossos desejos despretensiosos

que tatuaram nossas almas.

Fátima Galdino

Exibições: 60

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Maria Fátima Galdino de freitas em 26 abril 2012 às 7:06

Obrigada Lú por sua presença em meu poema e feliz por fazer parte dessa casa de encanto e magia,beijos.

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...