Leu mapas da idade da pedra bruta,

       traçou  rotas distorcidas, virgens,

       soube segredos e mistérios do mar,

       esculpiu  uma  embarcação artesanal.

       Partiu com o coração partido; abrupta

       viagem; entre tempestades, vertigens;

        em busca do ignorado, de fecundo lar.

        Sentiu a mente ensolarada; o sal

        curtindo  sua pele; a bússola  insana,

        pergaminhos intraduzíveis; perdido;

        tripulação abatida. em vão não seria

        descobrir terras onde emana

         o amor e variantes; destemido

         libertou as velas, o leme; última  agonia;

         inescrupoloso  naufrágio.

                (Gustavo  Drummond)

Exibições: 52

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Sílvia Mota em 9 agosto 2016 às 9:18

Comentário de Críspulo Cortés Cortés em 2 agosto 2016 às 6:41

Comentário de Maria Iraci Leal em 27 julho 2016 às 16:54

Gustavo Antonio Drummond

Encantada com as tuas belíssimas letras,

bjs MIL.

© 2019   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço