Posts de Aecio Kauffmann Colombo da Silva (57)

Classificar por

Ouvidos moucos

.  

               OUVIDOS MOUCOS.

 

 

Não penses tu que me magoa o gesto,

tão impensado, tredo e irrefletido...

Próprio de quem pouco amadurecido,

com que procuras me  fazer doestos.

 

Não penses tu, que te ouço em sentimento,

quando, ao falar, impostas, tão severo,

o tom da voz, buscando, co’ar de vero,

consistenciar vazios argumentos..

 

Não penses tu que é por te ter respeito,

que em meu silêncio vou te ouvindo e calo

a prevenir-me do mal que me faças....

 

Se nada falo é por saber que o feito

te é funcional.... Impessoal regalo..

Que ladram os cães e a caravana passa.

 

Aecio Kauffmann

  
Fonte
Size

q

Saiba mais…

Batendo os tambores...

 

 

  • Batendo os tambores...

  • .

  • Oh tu! Que pensas e te julgas protegido

  • por estas forças ,que invocas em teus trabalhos...

  • Os que realizas, descuidoso e sem sentido...

  • Te acautela com uso do teu malho,

     

  • que é de terceira... Te asseguro e já te provo.

  • E, ainda , renovo a minha comiseração...

  • Pois tu trabalhas os usando...Eu os renovo.

  • ao demonstrar-te a pequena evolução,

     

  • que aquele avanço,com mandingas, não ensejam

  • qualquer progresso na jornada evolutiva.

  • Faço-te ver ,que aquelas mãos que os manejam,

  • nem mesmo sabem o que é ser cognitiva.

     

  • Mas não é este o tema aqui deste chalaça..

  • Xiru curtido nos terreiros desta estância.

  • Por isto vou ser curto e grosso e vão de graça

  • os meus conselhos que, em última instância,

     

  • são um alerta ao apontar a alternativa,

  • que só te caber atender sem mais demoras...

  • E não te aceito qualquer justificativa,

  • pra retirar a tua gente... Já. Agora...

     

  • O livre-arbítrio é teu... E vamos pra esfrega...

  • E vamos, lá .bancar a mesa com mão forte...

  • Nada de tréguas.. E nem pensar em entrega,

  • que esta peleia não depende só de sorte....

     

  • Mas já que estás a embaralhar a minha vida,

  • bato de pronto e vou a causa ..Vou-me ao ensejo!

  • Que ,nestas causas, empenhei toda uma lida..

  • e elas eram bem maiores da  qu’eu vejo...

     

     

  • Segura as pontas. Firma toco. Chama os "homis"....

  • Segura a barra que bochincho vai ser grosso.

  • Que, neste encontro ,o bicho pega e o bicho come.

  • E eu vou usar de todo engenho. Todo esforço.

     

  • Nada pessoal a impelir-me a tal cruzada,

  • mas sim o troco a todo o mal que me foi feito.

  • Perco alguns pontos .Perco até toda jornada.

  • Este sou éu.Esta é a forma.Este o meu jeito.

  •  

  •  Tchê 211.

     

Saiba mais…

Revanchismo...

 

 

Há de alentar-me o ultimo sopro e o último verso

em que aporei ,fremente, a derradeira rima,

um travo amargo a me saber, e quão, perverso

pelo ódio imenso que ainda agora se me anima.

Hei de encontrar-me enfim ,sem arrependimentos,

pelo que fui e fiz durante esta passagem...

E, sem temores dos meus torpes sentimentos,

me encontro, eu cá, a observar de minha margem

o caudaloso desta agua turbulenta,

que varre o leito e aos declives já se se espalha

trazendo co'ela ,um a um,meus desafetos.

Os das infâmias.Os das calúnias virulentas

Corja de pulhas!!! Tão servis e tão canalhas...

Passam boiando as tristes sobras de dejetos.

Aécio Kauffmann.
Saiba mais…

 

                                       Ensarilhar Armas.

 

Chega-me as mãos um artigo de respeitado Oficial Superior das Forças Armadas que, hoje, defende com suor e lágrimas “aquelas nossas encanecidas posições”.

É “evidente que” a conversão, a estas alturas do campeonato, já não me surpreende, contudo se me debruço mais na dissecação do articulista do que propriamente na absorção dos conceitos, buscando “sentir firmeza”.

 E mais do que evidente a posição escrita do signatário, e conforta-me, a leitura das três primeiras páginas, quando o caro escriba faz uma interessante incursão sobre o Brasil e a luta pela demarcação de suas fronteiras.

Todavia, na página quatro, o companheiro faz algumas observações sobre " postura ideológica", quando, após referir-se ao marxismo-leninismo, socialismo, social democracia, neoliberalismo (aparente!!!) deixa-me bastante claro que estou diante de um autêntico LIBERAL.

Tudo bem...! Estamos aí, fazendo de contas que ele está absolutamente certo, a fim de que não sejamos apontados como os canais condutores da ruptura, que se avizinha, que é - e tomara que eu esteja errado - eminente e para gáudio dos Novos baianos, quero dizer dos Novos Romanos.

É .... Tudo bem..., Mas logo ali, na página 5, outra pérola.

Agora um apossamento.

Um plágio eu diria , que está a merecer uma Ação para pagamento de Direitos Autorais... ...

 A referência ao entreguismo - que nos custou, por denunciá-lo, a todos... a carreira e......., para alguns,....... a vida.

Naquela época, “a voz escrita” do articulista não estava empostada com este afã patriótico, mas sim afinada ao coral ENTREGUISTA, que gregorianamente bradava .... COMUNISTAS, COMUNISTAS...

Mas, ainda assim, vá lá!

Tudo numa boa.!!!!

 Perdoai-os, oh Pai, porque eles pensam que sabem o que dizem !!!

Mais adiante, ainda desviscerando o articulista, o meu coração pulsa um pouco mais agitado, quando quero ler: compromissos estranhos... e prejudiciais à Pátria...

Aí eu me devolvo a ROBORÉ, VASCHANG, ORQUIMA, ENERGIA ATÔMICA (O INQUÉRITO DO TIO TÁVORA) ao ACORDO MILITAR e tantos outros compromissos que, à época, nos pareciam , bastante estranhos, mas não aos que hoje “defendem” aquelas nossas “velhas posições”, pois as sustentavam com argumentação sobrante e estribada num calhamaço de publicações financiadas pelos “IBAD” da vida...

E o Tio Heitor Aquino Ferreira bem sabe que não exagero nem um pouquinho.

 E está ,vivo para me confirmar..

 Mas, tudo bem.!! Vamos segurar as pontas, pois se nos parece que os companheiros estão um pouco confundidos.

Ah!!! a que não pode uma excrecente mídia!!!.. .

Temos qüeras já se eminhocando e, com o perdão da má palavra, se emprenhando pelos ouvidos..

Ali adiante outro joelhaço nas minhas partes pudendas....

Uma conclamação ao povo ....

Um repto à ação...

Uma lembrança amarga ao espinhoso da jornada e a feliz ou infeliz constatação de que a BATALHA MAL COMEÇOU....

Mas gente, pelas barbas do profeta, se a batalha mal começou, e a “MORAL” já está deste jeito...!

 A lá grã cria.!!!!. Como podes perceber, o xiru, que respeito pela sua antiga posição, está a mudar de ares ou talvez, do alto dos seus alfarrábios escolares de alto coturno, desinformado, imaginando que somos todos um bando desvairado de ignorantes bestas, posto que ainda está, não aguardando, mas acreditando (se bem que haja quem acredite em Papai Noel, ainda...) nestas” lideranças ocultas”que pretendem , na marra, mudar o panorama atual .

O que se lhe pode desculpar, pois acreditou em tantas outras coisas.... E nós temos que posar como vaquinhas conscientes no presépio nacional que está sendo montado e com muito esmero e inteligência, balançando, ainda que contrafeitos e constrangidos, as nossas insignificantes cabeças.

Ruminando as nossas incertezas com respeito à sinceridade deles.

Está se esquecendo o digno companheiro...

A la fresca!

Que o quente da marca, chegando ao couro, só arde quando é na gente , só dói, quando a gente é o touro.!!!!

Mas,tudo numa boa!!

Afinal de contas, “engolir sapos sem qualquer recheio” tem sido a minha posição. Tem sido a posição dos meus pares ,ditos revanchistas, esquerda nojenta e traidora e etç....

TUDO BEM.... !!.

Tudo, na correspondência é Miranda. Nada é Credenda...

E ,sem talvez perceber ,que na outra ponta da linha o dégas aqui estava de plantão, discorre sobre o Sérgio Macaco, sem conhecer o episódio que levou o Brigadeiro Eduardo Gomes a dirigir carta ao Gen. Geisel, e que está publicada nos Anais do Congresso e na qual o estimado amigo mostrava quem era Burnier et caterva e quem era Sérgio.

Mas, pr’a sepultar a minha “frescura” e IN DEFINITIVUS, chega-me, agora, às mãos a última (pelo menos que eu conheça) manifestação de outro aguerrido companheiro.

O documento que ,mutatis mutandi, serve-lhe, (como contraditório) como atestado de, no mínimo, falta de habilidade política (e não me digam que é apenas um soldado e não político ... pois eu teria que redarguir com um ditado da casa ..., “quem não tem competência que não se estabeleça”) é daqueles que desestrutura qualquer Rambo 3º mundista.

 Incapacita qualquer avestruz para uma digestão equilibrada, tais os destemperos de linguagem que empregados para adjetivar a refeição que se nos querem empurrar goela abaixo....

E aí, meu caro, só me resta, como na canção do Gonzaguinha, repetir “explode coração... não dá mais p’ra segurar”.

 Aécio Kauffmann Cav.Aman.54.

Saiba mais…

VENDO O SOL NASCER QUADRADO.

Vendo o sol nascer quadrado -

Aécio Kauffmann







Hoje,são menos do que trinta. Todos juntos.
Desde os mais velhos até ao mais "pica-fumo".
Mas todos sentem como um só . Baita conjunto !!!!!
E a nenhum falta ,siquer ........ o mais leve aprumo.



Vem outra dupla .E quem gritou! Tá meu parceiro!!!
Também gritou . (e alto,,,) A égua teve cria...!
Para ser preso,foi daqueles bem premero.
mas, p’ra ser solto !!! Tá esperando todo o dia.



E vai, na espera, mui sisudo e mui calado,
este menino que é todo " filosofia.
Dos "ipeemes",nas respostas diplomado
ele ,mui lógico,disseca a garantia ....



E há , lá em cima, e há, cá’ embaixo, quem defenda
e ferozmente,aquelas damas que embaralham.
E ,renovando suas duplas ,na contenda
por esta causa, o dia todo se atrapalham.



Nas canastras, falam em bater..E falam em morto
(co'ele na mão, tás cum milhão). Barbaridade!
Só quem fica vulnerável fica ,lá , absorto

e ninguém faz caso dele nem tem piedade.



;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;



Nunes, Affonso, Seu Fubá,doutor Cabeda.
Rota, Tio Zuque,Seu Donini e ainda o Grillo.
Seu Octacilio, que , as vêiz. , algum estrilo...
Se fica sem parceiro. Se não cabe ......... dá.



Em outras eras, houve aqui um baita artista
que, de gaiato se juntou ao Cunha Mello.
Era p’ra frente , mas assim que entrou na Lista...
Mudou de voz... Trocou a cor...Virou marmelo,



Bah tchê!.. Tremia ao vento,quando se aventava,
ser bem factível pensar num fuzilamento.
E, apavorado..nele, só, ainda, restava
um medo enorme . ..E assim que , no grande momento,



em que disseram: Vai, guri... em liberdade!!!!!
Largou-se .. ,louco de feliz , escada abaixo.
Desceu ,dizendo .... Volto gente.!!. A qualquer tarde..........
Se nos encontra nem nos conhece!! É o que eu acho.



Há outros tipos que em suas doces loucurasp
pensam que, um dia ,talvez possam jogar fora
estas paredes moço (de tijolos puras)
e, firmes, nelas,batem e rebatem horas.



—2—



Os seus halteres são as nossas cadeirinhas.
Deitam no chão .. E se levantam E, depois. deitam..
Bufam e rebufam ... Tomam ar nas jnelinhas.

E, só, depois do banho,é que,então, se ajeitam.



Dom Leonel Cabeda que é também Brisola...
Mais conhecido entre nós como Guevara.==
É o homem certo pra pauleira e o pau-de-arara.=
É dele a trolha e o toque. ..........Vão lhe entrar de sola.



Também o Rota( sobrinho daquele home)
que todos querem a cabeça, sacar fora.
Cuida que a sua ,meu ,e a culpa é do seu nome,
também esteja a perigo, por agora.



O nome é o mesmo.. E daí, acho, que o enleio
O gordo é alto .E o bem magro é que é baixo.
O nome é o mesmo. E um Dario, acho que veio.
valendo o peso .O outro?? De inhapa eu o acho.!!



FIRMI NO posto, a lembrar, em todos os gestos,
um Zé Luiz ,de já tão priscas e loucas eras
Prenderam o moço ,sem fazer nenhum doesto...
Em Macacu...entre amestradas e idosas feras.



E tinham as feras, que estavam a seu serviço,
mais de dez anos,e daqueles bem vividos.
E os guerrilheiros.!!!Jovens, mais com muito viço
Com mais de oitenta anos, mas quão bem nutridos..



Problema sério é o da pia e do banheiro
pois lá nem todos vão banhar o corpo inteiro.
E há um velhinho ..Eu não sei se é quem supões?
Que entre outras coisas vai lavar os seus "botões"



Chegou agora.Nova cara..Nova alma.
Veio de longe.. De um lugar de Maceió.
Tem todo o jeito de quem tem, de sobra, calma=
e isto bom, pois só ajuda a quem ,tão só,



ainda estará ,aqui, a espera do seu RÁDIO..
Sem o Goron.,Sem o Benito e sem o Affonso

Por companheiro o caro Coronel Secadio
ainda terá o nosso Koch Bado ... Zonzo.




Com as fofocas do Tenente Reginato,
lá em Palegre ( assim nos diz o nosso Vargas )
acreditando que, ao final inda dos Atos,
ainda esteja cotejando horas amargas.



—3—



Agora vamos...Para onde, ninguém diz.
Mas o aparato (diz aqui o amigo Osório)
tá mais com jeito de um enterro sem velório,
do que o de uma esticadinha até Paris.



Roberto Osório, lá da AMAN,que é Ridel e Pina
(moço elegante que é de um general parente)
é o diplomata, nato, que se se amofina,
engole os sapos sem tugir,nem rilhar dentes.



A vida a bordo...Só valeu.!!! Mas que loucura !!!
A começar pelo o que era o alojamento.
Bah! Os lençóis de linho !!!! E aquela gostosura
da ducha ou sauna em qualquer,qualquer momento.



Os carcereiros são,pra mim, do melhor nível
e, por justiça,é bom ainda que eu ressalte,
mas muita gente ainda reclama ( e isto é incrível !)
que inda, ao café,o grape-fruit se nos falte.





Que diferença de prisões...Vejam meus caros!!=
Quando em Palegre o seu nogueira vem e " tasca",
juntos, uns vinte, sem que nem haja "reparos"
para higiene.E, p’ra dormir.... nem mesmo macas.



Banhos de sol Piscina e mais.... As canastrinhas...
Boião de classe e todas portas sem ferragens.
E o Santos Lima, gerenciando aquela Linha .........=
Sem exageros... e sem contar, pra nós, vantagens.



Como as cantavam alguns heróis, heróis-de-araque...
Tomei o Forte,meu! Com uma bofetada . ....
Tristes figuras ,que ao primeiro e menor " traque"
se punham tensos,e de arma engatilhada.



Se fosse eu ... Pegava toda esta cambada
e a punha em jaulas ...Mais..Eu a punha à ferros..
Mas não sozinho tchê.!!! .......Pois uma tropa armada
é que animava o boçal , chegando aos berros.



E outras histórias nos ficaram sabidas
de outros valentes , mas só da boca p’ra fora
que se estouraram, logo-logo de saída ,
ou congelados foram... pronto..Sem demora.



À bordo temos tipos. E dos bem estranhos.
É o pitoresco de qualquer outro lugar lugar.
Há os baixinhos... Outros que de bom tamanho.
Os que não falam e os que por tagarelar



—4—



o dia levam e, pela noite,bem insones
ainda entram e vá Blá... Blá... Blá .....Blá Blá .....
Fala bem pouco,vejam, o "Seu Cavasone",
mas como fala,nossa! o "Doutor Fubá.



É um sacana o vermelhão se nos dizia
o Seu Virmond ,querendo então lhe aprontar...
E lhe " aprontou " , um dia, em que lá na vigia
estava o belo inteiro , todo a se fresquear.



E lá vai bala!!!! ............ Grita forte o Herculano .......
Barbaridade !!!.. .Deus do Céu !!!.. ... Nossa Senhora!!!
Grita mais forte, em desespero ,o carcamano,
que não consegue a cabecinha sacar fora.



Ao Fortunato não escapa quase nada.
Tudo é motivo para charges, gozações.
Como uma ou duas ou três fortes rabiscadas,
passa o " vivente "para um dos seus cartões.

.

Daudt, "o Araújo", já arranjou um novo jeito
de, em meio à noite,e ao despasito se mandar.
E eu com ele,vou na raça e vou no peito,
me vou de arrasto, pois, por Deus, não sei nadar.



Ah,ah.ah.ah. ... Eis que a risada determina
esta figura que até era Poeta....
E quem é triste, abatido, já se anima,
pois, assim rindo, Dom Cairelli interpreta



de forma clara o que pensa do momento.
Um triste instante de uma luta tão inglória
de quem, com FORÇA, dela fez seus argumentos
tão esquecido das origens desta " estória".



Não sou profeta, mas já vou me preparando
p’ra uma pauleira dentro do melhor estilo,
pois que, num rio empiranhado, só nadando
sempre de costas, como ,à lenda, o crocodilo".



Vem chumbo grosso. Que a caçada é de elefantes.
E a cachorrada não vai dar chance a ninguém.
E quem espera uns DOIS ANOS,está distante,
vive na era do mil réis e do vintém..



Pela largada e pela baba espumejante.
Pelos grunhidos e o tropel, na pradaria,
largo de VINTE .Que já é tempo bastante .........
Mas com a " gana "que eles vem, mais eu daria.





—5—



Por tres prisões, já nos baldearam os tais pro-home.
Do picadeiro há muito pouco o que contar.
Kid Nojeira, que de estrelas tinha fome.
não teve tempo.Se tivesse,ia aprontar.



Não teve tempo?? É maneira de dizer,
pois fera é fera qualquer que seja o lugar.
Era mui cedo para ele mesmo crer
que a Redentora se ia ao poucos se esticar.



Assim o gajo se guardou por mais um pouco
bastou-se apenas nos cuidando e nos rosnando
seus impropérios, chocos qual um cusco rouco.
Ladrando forte!! Sô...Mas só..Mais só. ladrando.



Claro que entendo a situação criada
para este moço candidato na real
P’ra ele a sorte estava já por ser lançada
e ambicionava uma função gerencial



Quem sabe um galho junto a um novo ministério,
ou até mesmo lhe acenassem,pois até
co’ uma vaguinha junto a excelso monastério
dos douradinhos ramos do melhor café.



E, por pensar, que tudo estava e era seguro.
Tava, no papo, o galho e a iniciação .........
Largou-se, cedo, do conforto do seu muro,
p’ro lado errado tchê e bem na contramão.



Barbaridade . Foi de pronto assinalado
Tavam ajeitando um movimento bem maior
e quem pro Jango já se tinha assanhado
ia p’ro arquivo onde á chance é bem menor



Depois, as coisas melhoraram um pouco.. " Um tisco",
mas o Índio—velho " estava bem escabreado;
grudou—se , ao muro, pr’a então não correr riscos,
mas de olho sempre lá no céu..Céu estrelado".



Por isto agora, esta atitude tão estranha.
Só fala grosso, quando é observado.
Se a alguém conforta o faz tão só por pura manha",
pois " tá " cuidando só de si . Só do seu lado



-----06-----



Cepeoerre .Vamos lá. Segunda escala —
Caras fechadas nos recebem bem armadas.
E o ambiente, que nos cerca, todo, fala
fala mais forte que as bocas que estão cerradas.



A escolta é toda de oficiais assim composta.
INAS, em punho, e p'ra nós sempre apontadas.
Toda a pergunta fica mesmo sem resposta.
E, em tom seco,todas as ordens nos são dadas.



No alojamento, em que se nos amontoam,
há um SHOW armado por alguns pobres artistas
" que, em altos brados, nos apontam, nos proclamam
que somos todos. Todos.. Todos COMUNISTAS.



E o quiloate de besteiras " programado"
nos envergonha de estar cá co’ esta gente
que, oficiais, devem viver mais " no gramado•’
e a companhia sempre influi ... a gente sente.



Em todo o caso o programão " de manhãzinha
supre o Chacrinha Só não tem sonoplastia ..
E, se de início ,"o Major’ aqui não vinha
hoje é" mobilia " . Vem de noite e vem de dia.



Não sei ainda o que o destino nos reserva,
embora eu creia que me reste melhor sorte,
pois da cambada sou o mixa da caterva.
Sou galho-fraco.Sou chinfrim ... pequeno porte



Mas, pelo sim e pelo não, já me acautelo.
Guardo-me inteiro de pensar que saio ileso.
Vão me entrar firme, de baraço e de cutelo,
nem p’ra que seja só pr’a ver se eu tenho peso.





Aécio Kauffmann / RJ

11 DE ABRIL DE 1964

Saiba mais…

Garatujices.

 

Garatujices...

Senhora !!! Penitente, me ponho a seus pés...

E ,livre de quaisquer ressaibos,eu lhe peço,

que não me imponha a injustiça de um revés,

que eu não mereço ,pois as palavras eu meço...

E creia ,que copio e garatujo lumes...

Quebra-cabeças-luz,que se me chegam lestos,

que sempre eu me sinto ,pobre vagalume ,

tentando iluminar ,mas sem causar doestos.

Tentando repassar a luz que se me inspira.

Buscando irradiar ,do alto, a doce prece,

Querendo dividir por toda a minha gira,

um pouco da colheita ,um pouco da messe.

Mas,sabe-se lá ,se na pressa em que eu os ponho,

um destes lumes se amiúda e menos brilha.

Se diminui e vai causar uma estranheza,

que a olhos doutrem vão lembrar minha incerteza.

Irão causar repugnancia à escumilha

e a transformar ,em pesadelo ,um doce sonho.

Aécio.

abril 2015

 

Saiba mais…

MULAMBO PARALÍTICO.

  

MULAMBO PARALÍTICO

Hoje eu me sinto como que empelicado,
e com o bestunto produzindo ideias
estapafúrdias e motes refinados.
Orações que saltitam em minha boca ateia.

Chavões... Figuras de sintaxe.. Trocadilhos.
Mais um sem numero de glosas faiscantes.
Alucinantes e a rogar pelo escardilho
Que as burile.. As aponha ao papel.Brilhantes.

Ah! E este é o meu termo. “Condição de usura.”
A mente ferve. E num doce estardalhaço,
de insensatez, como se fossem políticos.

4

Dedos prontos pro teclado, que se mensura...
Mas não lhes dá a boca, se quer um espaço.
Fiel a língua... Seu molambo paralítico....

Aécio.
Abril 2015.

Saiba mais…

ENIGMA.

 

ENÍGMA.

 

 

                         Vejo-te em cada virgula do que escreves.

                         E em cada frase em que tu nada revelas

                         E, em cada espaço em que estás ,toda, tão breve. 

                         Mas ainda assim perscruto ,em toda a tela,

 

                         leve resquício, de uma maneira esquiva,  

                         onde eu  encontre uma esperança quase morta,

     .                   dentre as  lembranças  que ainda estão ,em mim, tão vivas,

                         que chegam a mim, quando a saudade bate a porta.

 

                         Ledo engano de quem sabe qu’esta é a vida!!!

                         Sabe-se lá que dívida  ,aqui, hei assumido

                         em outras eras, ou em outra ocasião?   

 

                         Triste consolo ,para quem se vê perdida

                         a única chance, neste agora ,e convencido,

                         salda o seu saldo com o seu próprio coração .

 

 

 

                         Renato Aécio. (23/10/2014)

Saiba mais…

CANÇÃO NOVA




: Canção nova


Valha-te amiga que co'esta idade

ainda soltas teus sonhos ao vento

buscando,ao,tempo a serenidade

que eu nem mais sei se ainda aqui eu tento.

 

Te invejo linda! E tu nem sabes quanto

te admiro e mais se me encanta

a suavidade que e teu acalanto

quando,em capela,com ternura ,cantas.

 

E a canção que entoas põe-me   n’alma

um não sei que de suave nostalgia

que  se me leva a angústia num repente

 

Leva de mim toda a melancolia

E eu torno a mim de quem estive ausente

E  me devolve ,por inteira, à calma

Saiba mais…

Sonho.

                      Sonho. 

 E ela lhe vinha inexplicavelmente linda.

 Sorrindo inteira como nunca lhe sorriu..

 E em seus olhos, pôde ler sou tua ainda.

 Talvez mentisse! Mas ela nunca mentiu!

 Se lhe transporta então, a consciência pasma,

 a insensatez da condição que é tão humana,

 e a escultura, como o artista a obra plasma,

 e co’o cinzel a burilá-la sente a graça.

 De quem, dos deuses, se sentia desvalido.

 Santificado por milagre que tardava,

 e que ali estava revivendo uma esperança.

 

 Pobre mortal, que já de si tão convencido,

 não percebeu que o milagre se chegava,

 quando dormia e sonhava co’as lembranças.

 

 Aécio.

Saiba mais…

Já na porteira.

 

 

 

JÁ NA PORTEIRA !

Dá-me senhor que eu tenha um vislumbre apenas

do que se vai por esta estância que é meu foro

Onde eu semeei meus sonhos, à tão duras penas
aqui e ali a engolir sapos...Desaforos.

Terciando as armas do meu pensamento livre

na vã defesa de alguns dos meus princípios,

que ainda hoje estão comigo e eu os prive

à minha usança no meu sacrossanto oficio,

que é me empenhar pra erguer ,sem muito alarde

a terra onde eu vivi sempre co’o dedo ao gatilho

a defendê-la de outras gentes, que Deus guarde,

e que buscaram humilhá-la ante seus filhos.

 

Quando tentaram dividi-la por inteira,

desde o episódio de Sepé lá nas Missões

Mais tarde, então ,foram dez anos de sangueira

com os farrapos, defendendo estes torrões.

Noventa e três! E já se vão de novo aos tapas

numa peleia de irmãos contra outros irmãos.

Briga de grandes que brigaram té de faca,

lavando a honra só por causa de opinião.

E o resultado tá, inda hoje, tão intacto.

Duas correntes mostram esta divisão.

Se ,por um lado, ficam todos os maragatos

do outro lado os chimangos desde então.

 

E isto não muda, embora agora arrefecidos.

e aproximados, só não vale em futebol,

quando então todos estão bastante estremecidos.

]É uma peleia da manhã ao por do sol.

 

E é aí que a velha porca torce o rabo,

quando se enfrentam. Quando os dois se vão à luta

São dois leões que a bolinha vão dar cabo

e a querência se divide na disputa.

 

É Grêmio ou Inter... Quem falou está falado.

Todos se unem divididos na contenda.

Ou é azul ou vermelho. Tá acabado

E isto é sério meu amigo... Não é lenda .

 

Depois então, de cada jogo, um businaço,

que se adentra pela madrugada afora.

E caladitos, os que perderam o seu espaço

retornam aos ranchos despilchados ..Sem espora..

E é nesta terra que espero ser cremado

e já pra isto cá estou juntando os pilas.

Não se me façam anunciar, nem ser velado.

Que aí então o velho Caburé estrila.

Levo lembranças de uma vida que pautada,

sem nenhum medo do que fiz ,estradejando.

Vivendo cônscio e sempre firme nas jogadas.

Não fui perfeito, más ,pra justo, vim tenteando.

Não sei se é licito supor que fui sincero.

Quis ser honesto, e me aferrei aos meus princípios.

Amei profundamente e só do amor espero

que se me seja o alento a um novo início.

É isto aí.! Companheirada do Estradão!

Xirus! Viventes! Dos meus muitos descaminhos

Les falo agora, coração à coração..

Filhas e netos. Genro e neta. Meus sobrinhos .

Minhas sobrinhas. Meus amigos que ,por certo ,

sabem do quanto eu lhes devo tanto apreço.

Minhas amigas a quem emprestei afeto .

E tu! Que fostes o meu sol...Alma-de-berço.

Levo lembranças dos momentos que vividos

Dos desencantos e das esperanças mortas .

Dos meus instantes em que estive dividido

e permiti que me fechassem as tuas portas.

Sigo sereno em cumprimento ao meu programa,

pois desnudei-me só por crer que estava certo.

E se é plausível merecer, porque se ama

o meu diploma ,cada vez .fica mais perto.

Aécio.

Saiba mais…

VENDO O SOL NASCER QUADRADO.

VENDO O SOL NASCER QUADRADO 

Hoje, são menos do que trinta.   Todos juntos!

 Desde os mais velhos   até ao mais "pica-fumo”.

Mas todos sentem como um só. Baita conjunto!

E a nenhum falta, sequer. o mais leve aprumo.

Vem outra dupla. E quem gritou!  Tá meu parceiro!!!

Também gritou. (e alto,,,)   A égua teve cria...!

Para ser preso, foi daqueles  bem premero,

 mas, p’ra ser solto !!! Tá esperando todo o dia.

E vai, na espera, mui sisudo e mui calado,

esté menino que é todo “ filosofia.”

Dos "ipeemes",nas respostas diplomado,

ele ,mui   lógico, disseca a garantia ..

E há, lá em cima,  e há, ca’ embaixo, quem defenda

e ferozmente, aquelas damas que embaralham.

E, renovando suas duplas ,na  contenda

por esta causa, o dia todo se atrapalham.

Nas canastras, falam em bater. E falam em  morto.

 Co'ele na mão, tás cum  milhão.  Barbaridade!

E quem fica vulnerável...  Fica .. Absorto  .

E ninguém faz caso dele nem tem piedade.

;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

Nunes, Affonso, Seu Fubá, doutor  Cabeda.

Rota, Tio Zuque, Seu Donini e ainda o Grillo.

Seu Octacílio, que, as vêiz. , algum estrilo...

Se fica sem parceiro. Se não cabe......... dá

 

Em outras eras, houve aqui um baita  artista,

que,  de gaiato , se juntou ao Cunha Mello.

Era pra frente , mas assim que entrou na Lista...

Mudou de voz... Trocou a cor...Virou marmelo.

 

 Bah tchê!.. Tremia ao vento, quando se aventava,

 ser bem factível pensar num fuzilamento.

E, apavorado..nele, só,  ainda,  restava

um medo enorme . ..E assim que , no grande   momento,  

em que disseram: Vai, guri... em liberdade!!!!!

 Largou-se.. ,louco de feliz , escada abaixo.

 Desceu, dizendo... Volto gente! A qualquer tarde...

 Se nos encontra nem nos conhece!  É o que eu acho.

 

Há outros tipos que, em suas doces loucuras,

pensam que, um dia talvez ,possam jogar  fora

estas paredes, moço!!! De tijolos puras.

e, firmes, nelas, batem e rebatem horas.

                                —2—

Os seus halteres são as  nossas cadeirinhas.

Deitam no chão. E se levantam... E, depois, deitam

Bufam e rebufam... Tomam ar nas janelinhas.

E, só, depois do banho, é que, então, se ajeitam.  

 Dom  Leonel Cabeda que é também  Brizola...

mais conhecido entre nós como  Guevara.

É o homem certo pra pauleira e o pau-de-arara.

É dele a  trolha e o toque. ...Vão lhe entrar de sola.

Também o Rota ,sobrinho daquele home,

que todos querem a cabeça, sacar fora.

 Cuida que a sua, meu, e a culpa é do seu nome,

também esteja a perigo, por agora.

O nome é o mesmo.. E daí, acho, que o enleio.

O gordo é alto .E o  bem magro é  que é baixo.

O nome é o mesmo. E um Dario, acho que veio.

valendo  o peso .O outro?? De inhapa eu o acho.!!

 

FIRMI  NO posto, a lembrar, em todos os gestos,

um Zé Luiz ,de já tão priscas e loucas eras.

Prenderam o moço,sem fazer nenhum doesto...

Em Macacu... Entre amestradas e idosas feras.

E tinham as feras, que estavam  a seu serviço,

mais de dez anos, e daqueles bem vividos.

E os guerrilheiros!!! Jovens, mais com muito viço...

Com mais de  oitenta anos, mas quão  bem nutridos..

Problema sério é  o da pia e do banheiro,

pois lá nem todos vão banhar o corpo inteiro.,.

E há um velhinho.. Eu não sei se é quem supões?

Que entre outras coisas vai lavar os seus “botões" .

Chegou agora. Nova cara. Nova alma.

Veio de longe.. De um lugar de Maceió.

Tem todo o jeito de quem tem ,de sobra, calma

e isto bom, pois só ajuda a quem ,tão só.

 

Ainda estará ,aqui, a espera do seu RÁDIO.

Sem o Goron. Sem o Benito. E sem o Affonso.

Por companheiro, o caro Coronel Secádio,

ainda terá o nosso Koch Bado ... Zonzo.

Com as fofocas  do Tenente Reginato,

lá em Palegre ( assim nos diz o nosso Vargas ),

acreditando que, ao final inda dos Atos,

ainda esteja cotejando horas amargas.

                             —3—

Agora vamos... Para onde, ninguém diz.

Mas o aparato (diz aqui o amigo Osório),

tá mais com jeito de um enterro sem velório,

do que o de uma esticadinha até Paris.

Roberto Osório, lá da AMAN, que é Ridel e Pina

(moço elegante que é de um general parente)

é o diplomata, nato, que se se amofina,

engole os sapos sem tugir, nem rilhar dentes. 

A vida a bordo... Só valeu!!!  Mas que loucura!!!

A começar pelo o que era o alojamento.

Bah! Os lençóis de linho!!!! E aquela gostosura!!

da ducha ou sauna em qualquer, qualquer momento.

Os carcereiros são, pra mim, do  melhor nível

 e, por justiça, é bom ainda que eu ressalte,

mas muita gente ainda reclama ( e isto é   incrível !)

que inda, ao café, o grape-fruit se nos falte.

Que diferença de prisões... Vejam meus caros!!

Quando em Palegre, o seu nogueira vem e “ tasca”,

juntos, uns vinte, sem que nem haja “reparos”

para higiene. E, pra dormir.... Nem  mesmo macas.

Banhos de sol Piscina e mais.... As canastrinhas...

Boião de classe e todas as portas sem ferragens.

E o Santos Lima, gerenciando aquela Linha.......

Sem exageros... e sem contar, pra nós, vantagem.

Como as cantavam alguns heróis. Heróis-de-araque...

Tomei o Forte, meu! Com uma bofetada. ..

Tristes figuras, que,ao primeiro e menor “ traque”,

se punham tensos, e de arma engatilhada. 

Se fosse eu.!.. Pegava  toda esta cambada

e a  punha em jaulas ...Mais..Eu a punha à ferros..

Mas não sozinho tchê.!!! .Pois uma tropa armada

é que animava o boçal , chegando aos berros.

E outras histórias que nos ficaram sabidas

de outros valentes , mas só da boca p’ra fora

que se estouraram, logo-logo  de saída ,

ou congelados foram. Pronto. Sem demora.

  A bordo temos  tipos. E  dos bem   estranhos.

É o pitoresco de qualquer outro lugar....

Há os baixinhos... Outros  que de bom tamanho.

Os que não falam e os que  a tagarelar

                        —4—

o dia levam e, pela noite,bem insones,

ainda entram e vá  Blá... Blá... Blá... Blá.. Blá... Blá.

 Fala bem pouco, vejam, o “Seu Cavasone”...

 Mas como fala! Nossa! O “Doutor Fubá”.

 

É um sacana o vermelhão, se nos dizia,

o Seu Virmond ,querendo, então, lhe  aprontar..

E, le aprontou, um dia, em que a vigia,

estava  o belo inteiro ,  todo a se fresquear.

E lá vai bala! ... Grita forte o Herculano...

Barbaridade!.. .Deus do Céu!.. . Nossa Senhora!

Grita mais forte, em desespero, o carcamano,

que não consegue a cabecinha sacar fora.

Ao Fortunato não escapa quase nada.

Tudo é motivo para charges, gozações.

Com uma, ou duas ,ou três fortes rabiscadas,

 passa o “ vivente “para um dos  seus cartões..

Daudt, "o Araújo", já arranjou um novo jeito,

de, em meio à noite e ao despasito ,se mandar

E eu com ele, vou na raça e vou no peito.

Me vou de arrasto, pois, por Deus, não sei nadar.

Ah,ah.ah.ah. ... Eis que a risada determina

esta figura que até era Poeta....

E quem é triste, abatido, já se anima,

pois, assim rindo, Dom Cairelli interpreta 

de forma clara o que pensa do momento.

 Um triste instante de uma luta tão inglória.

De quem, com Força, dela fez seus argumentos,

tão esquecido das origens desta “ estória”. 

Não sou profeta, mas já vou me preparando

pra uma pauleira dentro do melhor estilo,

pois que,  num rio empiranhado, só nadando

sempre de costas, como ,à lenda, o crocodilo”.

Vem chumbo grosso. Que a caçada é de elefantes.

E a cachorrada não vai dar chance a ninguém.

E quem espera uns DOIS ANOS está distante

Vive na era do mil réis e do vintém..

Pela largada e pela baba espumejante.

 Pelos grunhidos e o tropel, na pradaria,

largo de vinte .Que já é tempo bastante.

 Mas com a “ gana “que eles vem, mais eu daria.

                                 —5—

Por três prisões, já nos baldearam os tais pró-homens.

Do picadeiro há muito pouco o que contar.

Kid Nojeira, que de estrelas tinha fome.,

não teve tempo.Se tivesse, ia aprontar.

Não teve tempo? É maneira de dizer,

pois fera é fera  qualquer que seja o lugar.

Era mui cedo para ele mesmo crer

que a Redentora se ia ao poucos se esticar. 

Assim o gajo se guardou por mais  um pouco

 Bastou-se apenas nos cuidando e nos rosnando

 seus impropérios, chocos qual um cusco rouco.

 Ladrando forte!! Sô... Mas só. Mas só  ladrando.

Claro que entendo a situação que já criada

 para este moço candidato na real.

 Pra ele a sorte estava já por ser lançada

 e ambicionava uma função gerencial .

Quem sabe um galho junto a um novo ministério,

ou até mesmo lhe acenassem, pois até

co’ uma vaguinha junto a excelso monastério

dos douradinhos ramos do melhor café.

E, por pensar, que tudo estava e era seguro.

Tava, no papo, o galho e a iniciação .

 Largou-se, cedo, do conforto do seu muro,

pro lado errado tchê e bem na contramão.

Barbaridade!!. Foi de pronto assinalado

Tavam ajeitando um movimento bem maior

e quem pro Jango já se tinha  assanhado

ia pro arquivo onde á chance é bem menor.  

Depois, as coisas melhoraram um pouco.. “ Um tisco”

mas o Índio—velho “ estava bem escabreado

;grudou—se , ao muro, pr’a então não correr riscos

mas de olho sempre lá no céu. “Céu estrelado”.

Por isto agora, esta atitude tão estranha.

 Só fala grosso, quando é observado.

 Se a alguém conforta “o faz tão só por pura manha”,

pois “ tá “ cuidando só de si . Só do seu lado. 

Cepeoerre. Vamos lá. Segunda escala -

Caras fechadas nos recebem bem armadas.

E o ambiente, que nos cerca, todo fala.

Fala mais forte que as bocas que estão cerradas

 A escolta é toda de oficiais  assim composta.

INAS, em punho, e pra nós sempre apontadas.

Toda a pergunta fica mesmo sem resposta.

E, em tom seco, todas as ordens nos são dadas.

No alojamento, em que se nos amontoam,

há um SHOW armado por alguns pobres artistas

que, em altos brados, nos apontam, nos proclamam

que  somos todos. Todos.. Todos COMUNISTAS.

 

  

E o quiloate de besteiras “ programado”

nos envergonha de estar cá co’ esta gente

que, oficiais, devem viver mais “ no gramado•’

e a companhia sempre influi ... a gente sente.

Em todo o caso o programão “de manhãzinha”

 supre o Chacrinha. Só não tem sonoplastia

 E, se de início ,“o Major’ aqui não vinha

 hoje é“ mobília “ . Vem de noite e vem de dia.

Não sei ainda o que o destino nos reserva,

embora eu creia que me reste melhor sorte,

pois da cambada sou o micha da caterva.

Sou galho-fraco. Sou chinfrin ... Pequeno porte..

Mas, pelo sim e pelo não, já me acautelo.

 Guardo-me inteiro de pensar que saio ileso.

 Vão me entrar firme, de baraço e de cutelo,

 nem pra que seja só pra ver se eu tenho peso.

                                       Aécio  Kauffmann  /  RJ

                                        11 de  Abril de 1964

Saiba mais…

Conselhos.

            CONSELHOS.

 

Repara filha, que tu és mais aceita,

 se estás na beca. Já emperiquitada.

 É aparência, mas se estás desfeita,

 ficas de lado. Logo és desprezada.

 

 Bom dia seu! Vai de doutor ao bode.

 É o tratamento que bem determina

 o rumo certo e co'ele tu não podes

 errar.. Se segues, à risco, a doutrina

 

 Lembra-te filha! Toda a antiguidade

 reclama, e sempre, pela senhoria.

 E não importa do cristão a idade..

 da intimidade, sempre, desconfia.

 

 Pois veste o lobo a pele do cordeiro

 para melhor aproximar-se dele.

 Esconde as presas. Bale até. Matreiro!

Depois... Záz! Pronto! Mete os dentes nele.

 

 Faze das normas o teu breviário.

 Livro-de-bolso. Bom de cabeceira.

 E mais, transforma-as, para o uso diário,

 na segurança de um par de perneiras.

 

 Perneiras? Sim! Não vai mudar o assunto

 que, nestes versos, o teu pai desdobra.

 Onde o teu senso?  Pó! Onde o bestunto?

 Não vês que estás num bom baile de cobras!

 

 E, quando a gente receia encontrar-se,

 com as meninas da língua comprida!

Um par de botas “hay que arranjar-se”

 e, se possível, de super medida.

 

 Elas rastejam, silenciosamente!

 Porém alertas. Prontas para o bote.

 E, quando surgem, encimando a gente!

 Para escapar! Meu Deus! Valha-nos sorte.

 

 Cautela, filha! Vê que esta amizade

 te finge apenas, mas fingindo, invoca

 a céus e mares a jurar lealdade,

mas que anda louca  p'ra fazer fofoca.

 

 Fala bem pouco. Se puderes! Nada!

 E nem te envolvas com as costureiras,

 de língua solta, cortante e afinada,

 que, ao menor galho, já são costumeiras,

 

 a dar no pé. No pira... e a cair fora,

 enquanto ficas, ba-na-no-sa-men-te..

 Por isto, filha, na jogada mora.

 Não entra em fria, quem ouve somente.

 

 O mais possível guarda-te.  Defesa!

 Não dá! Concordo. Vai!! Mas, companheira!

 Vai te cuidando, porque, se indefesa,

 ficas na quadra.! Vem-te a tchurma inteira:

 

 Mais pô! Qualé! É marcação! Bobeira!

 Eu não te disse que ela disse "anssim!"

 Ah! Queridinha..., era só brincadeira!

 Credo! Esconjuro! Que coisa chinfrim.

 

 E então tu ficas com cara de tacho.

 Cara de cusco que lambeu sabão.

 E, minha cara! A tua cara embaixo.

 “Niveladinha bem à rês do chão.”

 

 Eu exagero! Cuida lá vizinha,

 que rimo apenas co'a dura verdade.

 E não te guardes destas amiguinhas!

 Logo te estrepas. Ficas na saudade.

 

 E, no terreno da competição..!

 Aí te digo! Bah! A coisa engrossa!

 Dormes no ponto e já acordas no chão.

 É um vale-tudo. É uma pauleira! Nossa!!!!

 

 Algumas outras são tão delicadas.

 Parecem lírios num igarapé.

 Cautela, filha!. Que há minas na estrada...

 E água parada às vezes não dá pé.

 

 Mas não te “encuques”... São coisas do mundo,

 que ninguém muda. Ninguém muda não,

 E a gente, às vezes, se esborracha fundo,

 mesmo sabendo, onde as pedras "tão".

 

 Mundo baixeza e que nos envergonha,

 mas que enrijece e que nos dá valor

 se as malhas vis da infâmia e da peçonha,

 ao que, por nobre , emprestamos cor.

 

 Mundo de Neros que estão sempre em cena.

 Foi-se o respeito. Foram-se os limites.

 E, hoje, o medíocre está, em meio à arena,

 a ornejar, buscando quem imite.

 

 Na pretensão insossa de que fala

 co'a sensatez de um novo Petronilho.

 E, assim, vai sem cor, nem mesmo brilho...

 Capacho triste do qual se trescala

 

 fétido olor das almas deste porte.

 Tão convencido, que não vê mais nada.

 Perdido o rumo pelo aplauso forte

 destes sabujos de beira-de-estrada,

 

 que usando, a estro, a bajulice grossa

 fazem-no crer, de fulgurante aspecto.

 Mesmo que o gajo já mereça e possa

 ser, de uma vez: falso, abjeto e infecto.

 

 Faze, do horário, santa obediência.

 Dos boletins... Teu pão de cada dia.

 Se sais ou entras! Dá logo ciência.

Senão, te enrolas!  Entras numa fria!

 

 Cuida que as ordens sejam sempre ouvidas

 por mais de uma ou uma em quem confies.

 Cuida, também, que sejam transmitidas

 a tempo e à hora. E, filha! Não te fies!

 

 Nestas promessas do depois, que a boca,

 nunca repete  o mesmo trecho. E é certo,

 que se não pões, bem cedo, a tua touca,

 bem cedo , ca-ram-bo-la-rás..., decerto.

 

 Escreve sempre. Estão aí as penas!.

 Pois que o grafado   não se perde e fica

 a resguardar-te, e a  evitar-te as cenas

 desagradáveis. Dou-te agora as dicas.

 

 Do fez não fez. Do foi não foi. Do disse.

 Nestas questões, nem a razão sustenta

 a mão mais fraca .Salvo se o teu disse

 esteja escrito. Porque aí se aguenta.

 

 Se leva a ferro! A fogo! E até no grito!

 No peito mesmo. Vai-se até às fuças!

 Mas, minha cara! Se não há escritos.

 Fica na tua, que a coisa está ruça.

 

 Vai com cautela e, em cada novo encontro,

 cuida os ouvidos. A língua?...Sumiço!

 Cuida da carga e evita o tal desconto,

 pois que isto sempre vem causar enguiço.

 

 Todo o respeito no tratar o alheio

 e aprende d'arte de viver, a glória

de engolir sapos  sem qualquer recheio.

 E, aqui, querida, se repete a história...

 

 Nos temas tidos como mui verazes

 e encontradiços hodiernamente.

 Que assustam, mesmo, queras mais audazes,

 que se descuram antes de ir, em frente.

 

 A enfrentar a selva empedernida.

 O mundo torpe em seu cotidiano.

 E já que, em volta, tudo é vida...Envida

 por apreender-me, pois que eu não te engano.

 

 Tu em ti mesma. Já não sei se entendes.

 Falo mais claro. Sê tu mesma um túmulo.

 E ai! Se tu cedes. Logo te arrependes.

 E cedo aprendes, que esta vida é um cúmulo

 

 de vilanias,traições,cinismos.

Onde a verdade é proferida à medo,

 que a todos causa o farisaísmo.

- medo à mentira, que é o horror mais tredo-

 

 destas comadres, que de si tão cheias,,

 de tudo sabem, menos o que são.

 E que vomitam ditos ,a mancheias,

 nos quais, nem elas, acreditam não.

 

 Mas vamos lá  aos temas, que ainda há pouco,

 me referi apenas de passagem.

 Aí ,então, já te perguntas. Louco!!!

 Ficou meu pai? Perdeu-se na engrenagem?

 

 Há quem capaz do dedo, na balança,

 pousar, de leve, sem que alguém o veja,

a retirar, do quilo ,a confiança

 ainda que mesmo por dez gramas seja;

 

 há quem capaz de discutir, irado

 o troco certo , que alguém lhe deu,

 mesmo sabendo, que, dos dois, é o errado,

 que a culpa é sua e que o erro é seu;

 

 há quem capaz de se estender em tese,

 que desconhece, e com alento e graça.

 E mais...Fazendo com o que diz pese ,

e de tal sorte,que lhe rendam praça;

 

 há quem capaz de censurar ,violento

 seu subalterno, e por bobeada sua.

 Depois, perdoá-lo, quando é seu intento,

 mandá-lo, breve, para o olho-da-rua;

 

 há quem capaz de se esquivar da obra,

 que é toda sua , e que não urge ajuda

 e ainda capaz de, co'aquela manobra,

 fazer que alguém, pressuroso, lhe acuda;

 

 há quem capaz de prometer alhures,

 mundos e fundos e sobre qualquer coisa,

 e não lembrar, quando cobrado, algures,

 e ainda jurar sobre uma fria loisa; 

 

 há quem capaz de soluçar, dorido

 com ais profundos e tão comoventes,

 por uma dor que lhe não faz sentido,

 por uma dor que, nem de leve, sente;

 

 há quem capaz de fazer com que digam,

que exemplo raro de amor ao trabalho

 e assim dizendo  muito tempo sigam

 a confundir entre o que alius e alho;

 

 há quem capaz de parecer alheio

 ao que se transa e ao seu redor se passa,

 mas de olho-vivo e já, buscando um meio,

 de entrar no bolo e por a mão na massa;

 

 há quem capaz de enaltecer bugio,

 ou sacripanta que lhe causa engulhos.

 E mais.. Capaz de ao ser chamado em brios,

 dobrar a espinha sem ferir o orgulho;

 

 há quem capaz de muito mais. Se há de....

 Por isto filha  nada de emoção,

 que cega à gente p'ra realidade

 e faz-nos cegos a voz da razão .

 

 Eu reconheço que carrego as cores.

 Que forço um pouco estes meus conceitos

 mas. esta é a vida.. Nua e sem pudores.

 Lavado o rosto. Cabelos desfeitos.

 

 Mas... Este é o mas aqui da minha história...

 Podes vesti-la e dar-lhe cor e brilho.

 Mesmo escoimá-la do que é bruto. Escória.

 Usando a estro, como a um escardilho,

 

 tua vontade e a intuição, serenas...

 O livre-arbítrio e a razão enfim,

 p'ra separar o inço das verbenas.

 P'ra distinguir o honrado do malsim;

 

 P'ra burilar, na pedra, que, ainda bruta,

 intues... oculta, medrosa, um clarão.

 Para vencer-te, na escalada abrupta,

 que é dominar em ti toda a paixão;

 

 Isto requer de ti muito trabalho

 -uma das Leis de ser-se. A condição.

Nele a rota ,o  caminho e o malho

com que forjamos  nossa evolução.

 

 Trabalho duro. Tão árduo e incessante,

 que até parece,as vezes, punição ,

 tais as sofrenças , que nos são constantes.

 Mas veja bem! Trabalho é o aguilhão,

 

 que impulsiona e nos impele a luta.

 O lenitivo de todas as dores.

 Conforto e alento, no ardor da disputa,

 e o corretivo de todos  temores.

 

 Seja qual for o lance teu, querida

 tenha os Conselhos, sempre bem a mão.

 Não custa nada uma pequena lida,

 antes que tomes qualquer decisão.

 

 P'ra. arrematar, que já se esgota, agora,

 o tema, a tese e o ponto em digressão.

 Dá tempo ao tempo, que p'ra tudo há hora,

 e evita, sempre, toda a discussão.

 

 Não falo destas discussões que buscam

 equacionar em prol do bem comum,

 mas sim daquelas que a razão ofuscam

 e que não levam a lugar algum.

 

 O brincalhão que, ao ar, revoluteia,

 “está por dentro” , e só quer provocar

 a discussão que, quando desnorteia,

 abre caminho p'ro quera acampar.

 

 E aí te abaixa!Que vem chumbo-grosso,

 num palavrório de fazer corar,

 frades-de-pedra ,e  isto é só  “seu moço”,

o que acompanha.O que vai chegar!!.

 

 Só mais um mate e já com o pé no estribo,

 mais uma linha só p'ra suplicar

 aos irmãozinhos de estrada ou de tribo

 que te  acompanhem no jornadear,

 

 pois, garimpando ,nos rios da vida,

tu sentirás o peso da bateia.

 Verás, sangrando, por calháus feridas,

 as mãos que buscam grãos de luz na areia.

 

 Vô Caburé-  jun 1961

Santa Rosa-RS

Saiba mais…

Quebrando a banca..

 

QUEBRANDO A BANCA.

Esta noite eu me ganhei limpando a mesa,
numa jogada de rara felicidade,
em que eu,de mão, às minhas fichas com certeza
pousei-as todas ,em mim mesmo ,sem piedade.
 
E ,ao pano verde, esparramei as frias fichas
ante o olhar embasbacado dos parceiros,
que me buscavam entender ..Porque eu ? Micha,
jogava alto quando sempre fui maneiro.
 
E no rodar, que o croupier dava à roleta,
todos os meus sonhos e aspirações menores
me desnudaram e eles viram ,sem enganos,
 
a alma limpa de quem ,e por tantos anos,
se deu inteiro e sem pretensões maiores.
que a de servir aos meus irmãos neste planeta.
 
E o desvestir-me ,mais a mim, serviu  que aos outros,
pois dá-me tempo para correções que urgem,
aqui e ali, reajustando a vida que se espicha,
 
ante meus olhos ,que ainda sinto pouco doutos,
mas felizes, pois meus parceiros  se ressurgem
e todos me eles me entregando as suas fichas.

Aécio.
29.06.2012.
Saiba mais…

Saudade.

E, hoje, eu só quero falar de saudades.

Saudades do ainda...Saudades do agora.

Saudades das minhas lembranças-verdades.

Saudades de mim e de quem foi embor

 

Saudades de quem só me faz ter saudades.

 Saudades do amor que ainda teima em viver.

Saudades que falam em  felicidade.

Saudade que ingrata não se faz morrer..

 

Saudade que tange,que trolha e se "assina"

na triste oficina do meu coração.

Turbando os meus dias.. Negando-me espaço,

 

pois rege o meu tempo com régua e compasso

E eu tento burlá-la,mas ela se afirma

me impondo o castigo de atroz solidão  

Aécio.

Saiba mais…

Norah.

Foi numa tarde, um fim de tarde

  Era setembro.

... E eu não sei se tu recordas

do que hoje ainda me lembro.


Vinhas tão linda

em verde-azul toda envolvida,

que a tarde embevecida

em teu encanto, quis ficar.


tal como eu inebriada,

e esquecida de que a noite,

de mansinho,

já queria o seu lugar


E o sol curioso

se quedou, lá no horizonte

, paciencioso por instantes,

só p´ra ver um sonho andar..


Vinhas e eu ia..

Eu chegava e tu saías,

pois ainda não me vias

e eu buscava te encontrar.


Faz tanto tempo, meu amor!

Mas bem me lembro,

que havia um "que" medroso

de mostrar sem se mostrar.


Sem crer, mas vendo

e ainda que vendo

eu não podia

acreditar que me sorrias

na ternura de flertar,


que ainda encontro,

quando hoje distraída,

ternamente enlanguescida,

tu me pões em teu olhar.  

Aécio Kauffmann

Saiba mais…

Mestra.

                MESTRA

 

A minha singela homenagem.

 

Da linguagem, em seus cuidados,

     nossa Mestra não descura...

     Mal erros são apontados,

     e já salta a criatura,

 

     premiando o atrevido

     ou atrevida; que falhou,

     distraída ou distraído,

    e, no erro, escorregou.

 

     Logo vem, lápis em riste,

     rabiscando sem perdão.

     Fique a escriba, ou não, triste,

     mas não falhe a correção.

 

     E não cola a choradeira,

     mesmo a de melhor estilo

     pois, com ela é pura asneira

     curtição de crocodilo.

 

     Nossa Mestra já conhece

     todo o  seu eleitorado

     que engana ou só parece

     ser, nas letras, ilustrado.

 

     Dom Quixote da mais bela

     Flor do Lácio faz seu Sancho

     da caneta,e co'ela vela

     nossa língua e põe no gancho

 

     quem não venha, por Del Rey,

     com escritos bem dosados.

     Que lhe não escapa, eu sei..!

     redatores mascarados.

 

     Falo eu, fala quem pode,

     que o falar é todo um rito,

     Mas, por Deus!, Mestra tem dó,

     de quem fala por escrito.

 

     De quem fala ao arrepio,

     das mais lusas construções

     e se  vai indo arredio

     às regrinhas e noções.

 

     Tô contigo, e vejo como

     falam tantos ,sem favores

     e nem são como nós. Como?

     Que entre eles há doutores,

 

     que tropeçam a cada linha.

     Se esborracham; ao menor ponto.

     Se enrolando a canetinha..

     Pra falar!  Eu nem lhe conto.

 

     Tascam agá  em tamborim.

     Xix  dobrado na borracha.

     Vão de anssim, em vez de assim.

     Pagam taicha e/ou tacha.

       

 

     Mas, e aí, de que adianta.

     apontar tais despudores,

     que cometem estas antas

     se pr'a elas ..só louvores!

 

     Entra em onda.Fica fria..

     que tem ganso dando sopa

     Saca a peça, que é Maria

     Cuida quiéum gegê di ôpas.

 

     Eu, pur mim façum agá.

     Vô levanu cumu possu.

     Jáqui u verbu é chinfrar

     vou fingindo que o endosso.

 

     Mas não pensem, que a Magda,

     que sapeca notas feias.

     seja apenas má, que dá

     notas baixas a mancheias.

 

     Me parece que ela existe

     em função do magistério,

     e existindo, subsiste

     pura, simples, sem mistérios.

 

     Não a mais; e nem a menos

     exigente co'a turminha,

     seus conceitos, sempre amenos,

     trazem a turma bem na linha.

 

     Eis aí a nossa Mestra,

     que é austera. Não alheia.

     Sempre tão segura e destra.

     Semeadora de mão cheia.

 

     Mas não é que este vate..

     Desgarrou-se ao  sinuelo

     Mas retomo, nem que a pelo

     e me vou ao arremate.

 

     Retratando, agora, a Mestra,

     sem ferir-lhe a condição

     de quem é segura e destra

     na difícil condução

 

     de aprendizes da linguagem

     com mui pouca vocação

     p'ra enfrentar toda a linhagem

     do pronome a interjeição.

 

     Nossos agradecimentos

     pelo esforço dispensado,

     por lições e pensamentos

     que, de graça, nos tem dado.

 

     Aécio Kauffmann.

 

 

 

 

 

 

 

Saiba mais…

Oi ! Minha linda.

Folgo em sentir que ainda há muita ternura

neste jeitinho de expressar tua saudade..

Razão de ser de quem, todinha, é só candura,

e me faz crer que ainda há felicidade.

 

E que ela inteira, vicejando, subsiste

em corações iguais ao teu,d'onde trescala

suave olor a perfumar as almas tristes

compartilhando da alegria que exalas.

 

E eu me convenço muito mais que, em meu destino,

és um caminho a percorrer nesta jornada.

E, em teu carinho, toda a força e o doce alento,

 

a emprestar-me o necessário alimento

ao Ser que Sou durante a minha caminhada

em que és , excelsa, a letra do meu pobre hino.

 

Aécio.

Saiba mais…