Poesia de Loucos

Ser um louco um pouco é ter muita fome

todavia some consigo o seu entender

homem tem fome de tantas loucuras

o que cura o homem então é o saber

 

Mas tudo que se sabe é grão é poeira

logo loucuras imperam em seu ser

se a fome do louco é tudo, é um pouco

loucura do louco vai prevalecer

 

Sei que estes versos são confusos e ocos

porem no final pouco terá um valer

pois tudo afinal é uma grande fissura

 

Mas se explica, pois é poesia de loucos

porque na essência o viver é loucura

 e nada existe que se perdure no saber

.

Alexandre Montalvan

Exibições: 42

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Etelvina Gonçalves da Costa em 24 maio 2018 às 13:43

Uma sátira á loucura do poeta  que deixa evoluir seu pensamento e que ultrapassa o compreensivel dando-lhe beleza .. gostei..

Comentário de Dulce de Souza Leao Barros em 23 maio 2018 às 7:22
Gostei! Parabéns!
Comentário de Elías Antonio Almada em 21 maio 2018 às 15:41

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 21 maio 2018 às 14:43

Talvez essa poesia de loucura não tenha nada. Seus versos não são confusos nem ocos. Há muitas verdades neles. Uma eu destaco:

Mas tudo que se sabe é grão é poeira

Comentário de Elisiário Luiz em 20 maio 2018 às 20:21

...pode até parecer mas alienadamente primo salientado...Parabéns!  Fique Bem!!! 

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço