alheio ao lado da musa

começo  a  escrever

neste exato momento,

às doze horas deste dia

seis de junho de dois mil

e  dezoito,  porém,  alguém

à  procura de  alguma alegria

aproxima-se, trazendo biscoitos,

bom café  com leite qual anestesia

velho  frio desta  manhã, gélida  tersã.

quisera ter agora bela e divina mente sã.

é intrusa gripe meu companheiro, atchim!

está  servido,  meu amado leitor querido?

não é o espirro, é o café  com biscoitos.

bem que podia ser um chá de alecrim,

apesar desta  alegria gastronômica.

encontro-me em palpos de aranha,

a escrever anônimo pelo conselho

parecendo-me  situação bisonha.

debaixo de relho, pois, minha cabeça

tropeça no avesso desse acontecimento

ao se ver num espelho a lhe espelhar

o movimento lento, deve ser

pela idade-bedelho.

devagar a divagar

vai-se ao longe

diz  a musa

a qual do

poeta

usa.

e a gripe, minha deusa?

vamos desengripar

primeiramente

a sua mente,

o  resto

vamos

deixar

para o

ar quente.

claro, se ele

não estiver

ausente.

escrevendo apenas uma

estrofe  por semana,

conquanto,  seu

conteúdo seja

autêntico

é andar

à galope.

preste

atenção

a musa

não diz:

trote, de pura  ilusão.

estará  lentamente

cumprindo a sua

missão, assim

fala  a musa,

ao  pensar

pelo meu

pensar,

porém,

de coração!

e a musa acrescenta: quer ser poeta

então escreva, escreva,

quem sabe se…

porém, da gripe não falou mais nada

pareceu-me completamente desinteressada,

porém, uma coisa eu sei ela nunca fica estressada.


jbcampos


Exibições: 57

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Jbcampos sábado

Margarida querida,

deixo o vírus de lado,

estou deveras encantado

com seu delicioso palavreado.

Somente posso lhe dizer: obrigado.

Já que é pra comentar, fica comentado!

Bjs.

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 14 junho 2018 às 20:58

Poeta é deveras surpreendente. Faz poesias até nos comentários. Beijos floridos.

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 14 junho 2018 às 14:20

Essa geometria é de um vírus gripal? É só para descontrair esse terrível mal.

O seu poema é um grande bem ao meu espírito. Uma música aos meus ouvidos. Parabéns.

Comentário de Jbcampos em 12 junho 2018 às 2:20

Grato, Mônica, pelas suas considerações, sempre generosas. Bjs,

Comentário de Jbcampos em 12 junho 2018 às 2:18

Obrigado, Almada, pelo prestígio aos meus escritos. Abraço campônio.

Comentário de Jbcampos em 12 junho 2018 às 2:16

Grato, Antonio Domingos, pelas suas leituras de meus modestos poemas, obrigado mesmo. Aquele abraço do seu conservo, campos.

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 11 junho 2018 às 16:03

Quase não acreditei quando entendi que a musa de seu poema, nada mais era, que uma gripe!     rsrsrsrsrrsrs

Mas, como de tudo se faz poesia... e essa poesia não ficou devendo nada, a nenhuma outra que seja!

Tamanha inspiração, só engrandece teu talento.

Parabéns.

Bjss.

Comentário de Jbcampos em 8 junho 2018 às 20:16

Obrigado, poeta Elisiário pelo seu arrazoado. Abraços.

Comentário de Elisiário Luiz em 8 junho 2018 às 19:56

Muito bem caro "elegante resfriado não" contudo acrescento que demais apropriado...parabéns fique Bem! 

Comentário de Jbcampos em 8 junho 2018 às 19:44

Oi Lais, grato pelo seu generoso e inspirado comentário, coisa de poetisa mesmo. Beijos campônios.

Membros

Aniversários

Aniversários de Amanhã

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço