A flor da perdição - ao tom de Baudelaire [Soneto Alexandrino]

A flor da perdição - ao tom de Baudelaire 

Nem pedra, sárdio, jaspe, ou dotes de esmeraldas

são entretons da aurora, ao qual o céu se esfume.

É torpe e intimidante o olhar que em vão desfraldas

às pétalas do mal, sem cor e sem perfume.

Boêmio, flâneur, dandy, em máscaras respaldas

o inferno protetor do bardo em vil ciúme.

Há flor apavorada e o orvalho põe grinaldas

na fronte triste ao léu, que o vento faz queixume.

Amor ou desamor - trafegas lusco-fusco,

do tédio à insensatez... Luxúria e tez serpente

arrostam cada verso em tom alexandrino.

Poema, prosa ou conto - em tudo quanto busco,

há vozes abissais... Satã se faz presente

no canto assustador que vaga sem destino.

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Rio de Janeiro, 4 de novembro de 2016 – 22h33

Exibições: 137

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Maria Santa Cabreira Ramires em 10 março 2017 às 0:28

MUITO BELO PARABÉNS AMIGA POETISA SILVIA MOTA BEIJOS [ COMO DECIFRAR AS SUAS LINDAS POESIAS EM CADA PALAVRA E UMA EMOÇÃO LINDAS]

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 6 março 2017 às 9:47

Estimado amigo, poeta e escritor Paolo Lim...

Comentário de Paolo Lim em 27 dezembro 2016 às 18:53

Nos "entretons da aurora" brilhas como uma joia que delicia mais um dia ao me surpreender com o encantamento de tua poesia. Agradeço com um beijo neste coração dadivoso. Bjs do Paolo.

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 22 novembro 2016 às 20:05

Estimado poeta Eduardo de Azevedo Soares

Agradeço-te a leitura e gentil comentário.

Beijossssssssssss

Comentário de Eduardo de Azevedo Soares em 22 novembro 2016 às 19:21

Amei poetisa.

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 8 novembro 2016 às 23:46

Estimada Chantal,

Agradeço teu efusivo comentário.

Adorei o destaque com trecho do poema!

Beijosssssssss

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 8 novembro 2016 às 23:44
Comentário de Maria-José Chantal F. Dias em 8 novembro 2016 às 23:24

http://img1.picmix.com/output/pic/original/2/7/3/0/5620372_68bf9.gif

Comentário de Maria-José Chantal F. Dias em 8 novembro 2016 às 22:10

http://img1.picmix.com/output/pic/original/1/5/2/0/5620251_c3801.gif

Comentário de Maria-José Chantal F. Dias em 8 novembro 2016 às 19:44

Iniciando pelo exterior: EXCELENTE IMAGEM!! EXCELENTE !

Indo ao importante.....O POEEEMA, para ser dito de boca bem cheia bem pronunciado!

Baudelaire mesmo, se quedaria extasiado perante ele ...mesmo azedo como ele se desejava mostrar... ele se extasiaria perante as volutas que dás ao teu sentir, ao veneno que extrais dos sentires. Destilado sobra O ELIXIR que vivifica o que o possui:o Veneno......

Teu final nao o sendo, expõe nosso humano desatino   .... mas sempre com o letal (!?)

Poema, prosa ou conto - em tudo quanto busco,

há vozes abissais... Satã se faz presente

no canto assustador que vaga sem destino.

Fiquei apaixonada!

Beijos de poesiaaaaa

querida POËTE (como escrevia Baudelaire!)

Silvia Mota nossa Mestre

apalusos de

Chantal Fournet

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...