Coração de poeta, quanto é falso!
Traiçoeiro, por demais perigoso.
Sem sentido - É cego em servidão
Refém, sem atinar o percalço
Ilusões, sonhos - Quão doloroso!
Das malsãs tormentas que ficarão,
Após sonhos e da ilusão em acaso

Coração de poeta eterno sofredor.
Da sua loucura segue impreparado,
Sempre no logro e da má avaliação,
Nunca pensa nem ouve seja o que for:
Independente, livre, mesmo magoado-
É ele que escolhe, e dita a condição:
Porque ele é vida, é sonho, é Amor!

Exibições: 33

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Helder Gonçalves em 24 fevereiro 2018 às 7:00

Bem Hajas Margarida Madruga pelo teu comentário

Comentário de Helder Gonçalves em 24 fevereiro 2018 às 6:58

Bem Hajas Caro Elisiário pelo comentário Abraço

Comentário de Helder Gonçalves em 24 fevereiro 2018 às 6:57

Bem Hajas Maria Cristina pelo teu comentário muito bonito Bjos

Comentário de María Cristina em 23 fevereiro 2018 às 22:44

Comentário de Elisiário Luiz em 22 fevereiro 2018 às 21:02

 Maravilhas Uma lucida e clara reflexão Fique bem!

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 22 fevereiro 2018 às 20:39

Um poeta pode ser coração, tanto falso quanto verdadeiro.

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço